Empregos

Carreira: para quê servem os juramentos da profissão?

O resultado desse “esquecimento” do juramento pelos profissionais é possível encontrar todos os dias

Redação Catho

Será que todos profissionais se lembram que fizeram um juramento na formatura? É certo que a euforia daquele dia e daquele momento, onde acontecem tantas manifestações de alívio por terem concluído o curso superior, parece que ofusca a seriedade e o sentido das palavras ditas. Tudo se transforma em um “grande barato” com aplausos, assobios, torcida, palavras, de mestres, pais e colegas presentes.

O resultado desse “esquecimento” do juramento pelos profissionais do mais alto nível até os de nível mais inferior em uma hierarquia de uma instituição a gente vê todos os dias. Quer ver alguns exemplos ainda quentes?

A Lista de Janot, por exemplo, traz uma lista de autoridades representativas e envolvidas em suspeitas de corrupção como presidente e ex-presidentes da República, presidentes do Senado e da Câmara de Deputados, ministros, governadores, deputados, presidentes de empresas e outros.

Na Operação Carne Fraca a PF desmontou um grande esquema de corrupção envolvendo empresas de alimentos e fiscais do Ministério da Agricultura.

Aliás, pergunto: qual foi mesmo o juramento que você fez? Você se lembra?