Séries

A loucura eletrizante de “Noite Adentro”

Minissérie belga está disponível na Netflix

Heyder Mustafá* ((heyder.mustafa@redebahia.com.br))
- Atualizada em

Se você é daqueles que adoram uma história sobre voos arriscados, aviões em turbulência e muita tensão a bordo, vá preparando a pipoca para assistir à primeira minissérie belga da Netflix. “Noite Adentro” chegou ao catálogo da plataforma trazendo uma narrativa curiosa sobre o fim do mundo e a corrida desesperada de 12 pessoas para sobreviver. Mesmo usando uma fórmula já conhecida, a produção prende a audiência e se torna interessante pelo roteiro rápido, bem escrito e pelo suspense renovado a cada episódio.

Na trama, um desarranjo da natureza faz com quem o sol destrua toda espécie de vida que esteja à sua frente. Sabendo disso, a tripulação de um voo noturno começa a viajar para o Oeste a fim de permanecer sempre às escuras enquanto uma solução é providenciada para que todos sobrevivam ao Apocalipse. Entre a incredulidade de alguns e o desespero de outros, a história ganha corpo com a revelação dos segredos de cada um dos personagens e a forma como eles encontram para trabalhar em equipe.

A minissérie pode ser classificada como ficção científica, mas tá na cara que o evento gerador de toda a desordem que justifica a trama é apenas um pano de fundo para falar sobre os limites do ser humano quando sua sobrevivência está em jogo. Ainda assim, a história se preocupa em dar algumas justificativas científicas para explicar a hecatombe. 

“Noite Adentro” consegue fazer com que o público inicie uma maratona sem perceber por conta dos bons ganchos que são deixados entre cada um dos seis rápidos episódios. Com uma história eletrizante, boas atuações e suspense na medida certa, a Netflix espera que a produção seja uma das mais vistas neste mês. Se a previsão se confirmar, a segunda temporada deve começar a ser gravada em breve. Tenho certeza que após assistir você também vai querer uma continuação dessa loucura apocalíptica.      

Heyder Mustafá é jornalista e produtor cultural formado pela UFBA, editor de conteúdo da GFM e Bahia FM, apresentador do Fala Bahia e apaixonado por cinema, literatura e viagens.