Música

Banda Vitrola Baiana lança clipe da música 'Ouro Pouco'; assista

Gravação contou com a participação de mais de 50 artistas baianos

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

A banda Vitrola Baiana lançou nesta sexta-feira (16) o videoclipe da música Ouro Pouco. O clipe, que está disponibilizado no YouTube,  traz a participação de Letieres Leite, maestro da Orkestra Rumpilezz, e de mais 50 artistas da cena soteropolitana das mais diversas linguagens, como teatro, música, artes plásticas, literatura. O objetivo do projeto foi reunir o maior número possível de artistas compilados nos quatro minutos de música e entremeados por manifestações artísticas diversas.

Foto: Divulgação
A gravação mistura groove de rua, hip-hop, beats, loops, pagode eletrônico e rock n'roll para criar uma atmosfera de rua, na sonoridade e nas imagens. A fotografia do clipe traz a linguagem do graffiti e da pintura corporal como forma de expressão genuína da arte livre, sem amarras. Todo o universo é também um convite à dança de rua – e de night clubs – impulsionada pelo peso do pagode eletrônico.

“É a Nova Música da Bahia, que mistura referências e que certamente vai ser a marca do Carnaval 2020. É um som urbano e visceral que bebe da Tropicália ao pagode pós-moderno do Psirico”, afirma Guga Barbosa, vocalista da Vitrola.

A letra da canção traz uma poesia ácida e mordaz, que propõe uma reflexão sobre o momento político do país, a apatia de suas classes dominantes e o retrocesso cultural. Tudo isso é apresentado com metáforas e simbolismos e toda a história se encontra no berço da boemia soteropolitana: o Rio Vermelho.


OURO POUCO
Vitrola Baiana

PASSEI UMA ÁGUA NO CORPO
UMA GILETE NO ROSTO
FERREI PIAR PARA UM PORCO
NO SEU CAVALO DE DOIDO

EM VEZ DE IR PARA O PORTO
ELA CAIU NA PISCINA
Ó, IMPUREZA CRUZADA!
TEM CRENTE NU NA PISCINA

ELA NÃO VÊ, MAS ME OLHA
DO LARGO DE AMARALINA,
TRAZENDO BALA NAS COSTAS
COM ELA NÃO TEM MAIS VIDA!

OURO POUCO

ELA QUE VEM DOS ESGOTOS
LÁ DOS DILEMAS ESCROTOS
DO TIPO MURRO NOS BAGOS
DO TRATO FURO NO OLHO

COMO SE OS CÂNCERES VIVOS
NÃO FOSSEM TODOS BANDIDOS
ELEITOS PELAS CAMADAS
INTRÍNSECOS NOS TECIDOS

ALÉM DO MAIS: QUEM SE IMPORTA?
Ó, SEU REBANHO DE TORRESMO
NO RIO VERMELHO, AZUL, ROSA
SE FUMAM UM OU SE BEIJAM

OURO POUCO / OURO PORCO

Composição: Edmundo Carôso e Marcelo Costa


Assista o clipe: