Séries

Grey's Anatomy tem mais duas temporadas garantidas

Protagonista da série é atriz mais bem paga da TV e falou sobre machismo dos sets; confira promo do próximo episódio

Vanessa Brunt, do Correio 24 horas (vanessa.brunt@redebahia.com.br)

Sempre que falam em 'séries infinitas', é difícil que dois títulos não venham em mente. Supernatural e Grey's Anatomy duram, ambas, há mais de 10 anos, com público fiel e, no caso da série de médicos: crescente. Apesar de uma 13ª temporada mais morna, a 14ª temporada da trama veio para comprovar as razões da "imortalidade". A forma de utilizar a medicina como metáforas reflexivas e críticas para diversos âmbitos da vida e a maneira de mergulhar nas relações dos personagens para muito além da endurecida fórmula de 'um caso médico a ser resolvido a cada episódio', são alguns dos motivos que fazem a série seguir firme e forte. 

Ellen Pompeo abriu seu coração em entrevista que concedeu a uma revista americana (Foto: Divulgação)

No entanto, apesar da força da trama de Shonda Rhimes, rumores diversos de que o desfecho da série estaria próximo circundam a web há mais de um ano. Mas, afinal, após tantas mortes, estaria Grey's perto da própria? Se depender da protagonista Ellen Pompeo, não! A atriz, que interpreta Meredith Grey no drama, assinou um novo contrato com a ABC Studios que garante pelo menos mais duas temporadas da série (que também fica disponível na Netflix), ou seja, a 15ª e 16ª (via The Hollywood Reporter), além da 14ª, que retorna nessa quinta (18) para a sua continuação. Confira promo do próximo episódio: 

A mais bem paga da TV

O contrato da atriz fará com que ela ganhe a quantia de 575 mil dólares por episódio e alguns bônus; Ellen, então, deve receber mais de 20 milhões de dólares ao ano, fazendo com que ela se torne a atriz mais bem paga da televisão, o que nos lembra da época de Friends, em que cada um do elenco chegou a receber 1 milhão por capítulo.

Mas as novidades não acabam por aí. A atriz será também produtora de Grey’s Anatomy e produtora co-executiva do futuro spin-off da série, sobre bombeiros.

Machismo no passado

Empolgada com as novas fases da trama, Ellen abriu o jogo sobre o contrato com a revista norte-americana Hollywood Reporter, dizendo que chegou em um ponto de sua vida onde ela está confortável em ir atrás do que merece. Nas suas falas, a atriz ainda deixa claro o machismo que existia anteriormente [ALERTA DE SPOILER para quem não finalizou a 11ª temporada:], quando o personagem Derek Sherpherd estava nos roteiros:

“Para mim, Patrick [Dempsey, intérprete do Derek Shepherd] ter deixado a série foi um momento decisivo em termos de contrato. Eles [os executivos do estúdio] sempre poderiam usá-lo como vantagem contra mim, o que fizeram durante anos. ‘Nós não precisamos de você, temos Patrick’. Eu não sei se eles também fizeram isso com ele, porque nós nunca discutimos nossos acordos. Muitas vezes eu falei com ele para negociarmos juntos, mas ele nunca esteve interessado nisso. Em certo ponto eu pedi por 5 mil dólares a mais do que Patrick, porque a série se chama ‘Grey’s Anatomy’ e eu sou Meredith Grey. E não queriam dar a quantia para mim. E eu poderia ter saído, então por que não fiz isso? É a minha série, eu sou a número um.”

Outro momento importante para Ellen foi quando Shonda Rhimes assinou um contrato com a Netflix a fim de produzir suas novas séries para a plataforma de streaming – a criadora não será mais exclusiva da ABC, mas continuará trabalhando nos projetos já existentes no canal, como Grey’s, é claro, e How To Get Away With Murder. Assim, o crescimento de Pompeo ganhou mais altura.

“[Shonda] estava tão empoderada que ela era generosa com seu poder. Como era isso? Era ela me deixando ser a mulher mais bem paga na televisão, deixando eu me tornar produtora da série e produtora co-executiva da série derivada e assinando o contrato que o estúdio me ofereceu, algo que não tem precedentes. O que aconteceu foi que eu falei com Shonda: ‘Se você está indo para a Netflix e quer que a série acabe, tudo bem. Mas se você quer que a série continue, eu preciso ser incentivada. Eu preciso sentir que eu tenho poder e que eu tenho autoridade sobre a série.’ E ela respondeu: ‘Eu absolutamente quero manter a série no ar. É a nave-mãe, então vamos encontrar uma maneira de fazer você feliz. O que você quer?'”

Na entrevista, a atriz também considerou o tempo que está na série e como Grey’s Anatomy a impossibilita de aparecer em outros projetos. "Eu não posso fazer mais nada, e criativamente isso é frustrante para mim. Eu faço 24 episódios de televisão ao ano, e como parte do acordo, não posso aparecer em outro lugar. E dirigir episódios é legal, mas honestamente, me faz ficar longe dos meus filhos. (…)", ponderou. Ellen ainda falou o quanto o gosto pela procura de novos papéis não existe mais para ela, que hoje se realiza muito mais ao poder produzir de outras maneiras.

A protagonista ainda falou sobre o movimento Time's Up, que ocorreu no Globo de Ouro, servindo de protesto contra os assédios sexuais sofridos, principalmente, por mulheres. A atriz deixou claro que foi um dos momentos que mais a incentivou a crescer onde já está:

“Nas últimas semanas, muitas das atrizes em Hollywood têm ido a reuniões [da organização Time’s Up]. Nós compartilhamos histórias e tentamos descobrir como podemos causar a mudança e usar nossas vozes para ajudar outras pessoas. E vou lhe dizer que, estando sentada em salas cheias de atrizes vencedoras do Oscar, ouvindo a forma como elas foram assediadas, é assustador. E isso confirmou que meu caminho realmente era o certo para mim, porque eu escolhi me empoderar financeiramente, de modo que eu nunca precise me esquivar de predadores e perseguir prêmios. Não é para todos. Você precisa estar mais interessado nos negócios do que em atuar.”