Cinema

'Hebe' destaca o combate à censura e ao preconceito

Filme tem Andréa Beltrão no papel principal

Heyder Mustafá* (heyder.mustafa@redebahia.com.br)
- Atualizada em


Se nos dias de hoje ainda existem idiotas que são a favor da ditadura e insistem em um preconceito imbecil contra gays, imagine como era o cenário em meados dos anos 1980, na transição da ditadura militar para a Democracia. É nesse período que se passa ‘Hebe - A Estrela do Brasil’, uma homenagem à maior apresentadora de TV do país e um dos ícones na luta contra a censura e o preconceito.

O filme é estrelado por Andréa Beltrão, que mesmo sendo carioca conseguiu incorporar o forte sotaque do interior paulista e os trejeitos de Hebe. A atriz é gigante no papel. Ela assume as características que fizeram a apresentadora ser conhecida nacionalmente e empresta todo seu talento à personagem. Por uma clara opção do roteiro, o filme não conta toda a trajetória da carreira da artista, limitando-se a mostrar como foram seus últimos anos da TV Bandeirantes e a chegada ao SBT.

Foto: Reprodução

A mudança de emprego coincide com a transição política pela qual o Brasil passava. Na trama, Hebe é constantemente ameaçada pelo resquício de censura que existia ao, sem papas na língua, criticar o Congresso Nacional, defender homossexuais, travestis, aposentados e trazer para o seu famoso sofá temas como a luta contra o HIV. Embora amiga e eleitora de Paulo Maluf, a apresentadora também reclamava diariamente da corrupção e chegou a ser processada pelos parlamentares.



Há muita ficção no que chamam de cinebiografia, mas a tarefa do filme é mostrar como em uma época difícil, em que o machismo era muito mais perverso e a sociedade respirava um ar terrivelmente mais hostil, uma mulher estava à frente do seu tempo e tinha coragem de usar seu lugar de fala para peitar a censura e o preconceito. ‘Hebe - A Estrela do Brasil’ está em cartaz nos cinemas de todo o país e merece ser visto, principalmente em um momento tão delicado como este que vivemos.  


*Heyder Mustafá é jornalista e produtor cultural formado pela UFBA, editor de conteúdo da GFM e Bahia FM, apresentador do Fala Bahia e apaixonado por cinema, literatura e viagens.