Copa 2018

Em jogo dramático, Alemanha vira nos acréscimos e vence a Suécia

Aos 46, Brandt acertou pegou na veia de fora da área, mas a bola explodiu no travessão.

Agência O Globo

Depois de perder para o México na rodada inicial da Copa da Rússia, a Alemanha flertou com o abismo contra a Suécia. Com um a menos nos últimos 15 minutos de partida — Boateng foi expulso no segundo tempo após falta dura em Berg —, os alemães, que começaram perdendo a partida, só conseguiram virar o placar nos acréscimos do jogo, em falta cobrada com perfeição por Toni Kross, que havia cometido o erro que originou o gol sueco, de Toivonen. O primeiro gol alemão foi marcado por Reus, no início da etapa final. O resultado deixou a Alemanha em segundo lugar no grupo F, com três pontos, empatada com a Suécia, que enfrenta o líder México (6). O time de Joachim Löw encara a Coreia do Sul na terceira rodada.

A Alemanha entrou em campo com o mesmo esquema — 4-2-3-1 — e três mudanças em relação à equipe que perdeu para o México na primeira rodada. Saíram Khedira e Ozil para as entradas de Rudy e Reus, que realocou Draxler para o centro do meio-campo ofensivo, atrás do centroavante Timo Werner. A outra alteração foi a volta do lateral-esquerdo titular Hector na vaga que Plattenhardt ocupou na estreia.

Com três pontos conquistados contra a Coreia do Sul, a Suécia começou sem a pressão de precisar correr atrás da vitória, como os alemães. Assim, buscava jogadas rápidas com passes verticais entre os vãos da adiantada zaga alemã. Foi assim que os suceos chegaram duas vezes com perigo: uma com Forsberg, que foi parado por Neuer, e outra com Berg, que reclamou bastante de pênalti ao ser derrubado dentro da área por Boateng. Mas o árbitro polonês Szymon Marciniak preferiu não consultar o VAR.

Aos 26 minutos, numa disputa com Toivonen, o volante Rudy levou a pior e saiu com sangramento no nariz. Após esperar cinco minutos para ver se o jogador do Bayern de Munique teria condições de voltar, Joachim Löw decidiu colocar Gundogan.

Mas quem abriu o placar foi a Suécia. Em improvável passe errado de Toni Kroos na intermediária, o meia-direita Claesson lançou com perfeição para Toivonen, que dominou e tocou por cobertura para superar Neuer.

Nervosa em campo, a Alemanha não conseguia atacar de maneira contundente e correu riscos em contra-ataques suecos. Nos acréscimos do primeiro tempo, Berg quase ampliou em boa cabeçada, mas Neuer saltou para fazer uma defesa espetacular.

Para a etapa final, Löw retirou Draxler, que não estava bem, e colocou o centroavante Mario Gómez. Deslocado para a ponta, o Werner fez boa jogada e cruzou rasteiro. A bola tocou em Gómez, subiu, e Marco Reus empatou, de joelho.

A dinâmica da partida, então, passou a ser de posse de bola da Alemanha (mais de 70%), que atacava contra uma frota viking parada em frente à área do goleiro Olsen. Confiante, Reus quase virou, mas perdeu o tempo da bola na tentativa de completar de letra.

O drama alemão aumentou quando Boateng, que fazia ótima partida, levou o segundo amarelo e foi expulso após carrinho violento em Berg. No desespero, Löw foi para o tudo ou nada. Sacou o lateral Hector e colocou o jovem meia Brandt.

Sob pressão total da Alemanha, a Suécia foi salva por Olsen, que fez defesa salvador em cabeçada à queima-roupa de Gómez. Aos 46, Brandt acertou pegou na veia de fora da área, mas a bola explodiu no travessão.

Quando tudo parecia perdido para a Alemanha, brilhou a estrela de Kroos. O meio-campista do Real Madrid bateu falta com categoria e virou o placar, aos 50 minutos do segundo tempo. A atual campeã mundial segue viva na competição.