Copa 2018

Musa marca dois e inspira a Nigéria a vencer a Islândia

Atacante do Leicester City foi o dono do jogo, cujo resultado embolou o grupo D

Sérgio Luz, da Agência O Globo
Depois de um primeiro tempo em que não conseguiu dar um chute a gol, a Nigéria dependeu da individualidade do atacante Musa para derrotar a Islândia por 2 a 0, em partida válida pelo grupo D da Copa do Mundo. Com o resultado, a seleção africana foi à segunda colocação, com três pontos, atrás da classificada Croácia, que venceu seus dois jogos. Na rodada final, contra uma desesperada Argentina, os nigerianos precisarão apenas de si mesmos para confirmar sua ida às oitavas de final.
Os primeiros minutos viram a Islândia fazendo exatamente o oposto do que havia feito contra a Argentina, quando passou os 90 minutos recuada atrás de uma muralha de gelo de sua linha defensiva para parar Messi e companhia. Mais aberto, o time islandês chegou com perigo nas excêntricas cobranças de lateral do capitão Gunnarsson, que arremessa todas as bolas sobre a área adversária, e em falta bem batida por Sigurdsson, que também deu um chute colocado no comecinho.
Com três zagueiros e cinco homens no meio, a Nigéria apostava sua fichas na rapidez dos meias Moses e Idowu, e dos atacantes Iheanacho e Musa, do Leicester City. Mas a Islândia não dava espaço para a criação de chances claras.
Bem organizados mas poucos criativos, os times então passaram a disputar a bola na faixa central do gramado, sem conseguirem levar perigo para as metas opostas. Num duelo feio e sem emoção, com apenas dois chutes da Islândia e nenhum da Nigéria, a primeira parte terminou num triste 0 a 0.
O segundo tempo, no entanto, começou com uma Nigéria modificada. Em belo lance, Musa matou com categoria uma bola cruzada e chutou com violência para vencer Halldorson, aos quatro minutos.
Com a necessidade de correr atrás do prejuízo, a Islândia adiantou suas linhas, e a Nigéria passou a usar seus alas para se defender com uma linha de cinco atrás. Um dos três atletas do Leicester dos 11 iniciais nigeriano, o meia Ndidi aproveitou contra-ataque para arriscar de longe, mas foi parado pelo goleiro islandês.
Aos 30, Musa passou como quis pela defesa islandesa e marcou outro belo gol. Um susto quase veio em seguida, quando o VAR confirmou um pênalti para a Islândia. Sem tomar distância, o camisa dez Sigurdsson, principal nome do time europeu, isolou a bola por cima do gol de Uzoho, de 19 anos, o goleiro mais jovem da Copa. A segunda vaga do grupo D está em aberto.