Futebol S/A

Empresa televisiva admite que pagou propina à Fifa para conseguir direitos de TV de jogos

Milhões foram repassados a executivos da Fifa por direitos televisivos de jogos das Eliminatórias para as Copas do Mundo de 2014, 2018 e 2022

Flankel Lima
- Atualizada em

O grupo audiovisual espanhol Mediapro, reconheceu por meio de um comunicado na última quinta-feira (19) que funcionários da Imagina Media Audiovisual SL, empresa pela qual ela detém uma participação acionária, pagaram milhões em proprinas a executivos da Fifa para conseguir obter direitos televisivos de jogos das Eliminatórias para as Copas do Mundo de 2014, 2018 e 2022.

“A Imagina reconhece sua responsabilidade, como pessoa jurídica, pelo comportamento criminoso de seus representantes, e que este comportamento criminoso pelo qual a Imagina foi responsável incluiu o pagamento de propinas para a compra dos direitos televisivos para as Eliminatórias nas regiões de América Central e Caribe (Concacaf) para as Copas de 2014, 2018 e 2022, em violação à legislação dos Estados Unidos”, informou a Mediapro em nota publicada em seu site.

A Mediapro informou ainda que três funcionários estiveram envolvidos neste caso, sendo “dois dos quais se declararam culpados do pagamento de numerosas propinas, e o terceiro, um antigo codiretor geral da Imagina, aceitou o pagamento de um suborno de US$ 1,5 milhão a fim de adquirir os direitos aos eventos qualificados e autorizou, dirigiu e facilitou o pagamento de US$ 500 mil desse valor total”

A empresa informou que os três funcionários foram dispensados em dezembro de 2015 e reafirmou que está à disposição para todos os esclarecimentos necessários.

Por Gabriel Coccetrone - Lei em Campo