Gastronomia

Abobrinha, maxixe e polvo: conheça diferentes opções de carpaccio

Sua versão original, de carne, foi criada nos anos 1950 pelo restaurateur Giuseppe Cipriani, dono do Harry’s Bar, em Veneza

Agência O Globo

O carpaccio viajou da Itália para cair no gosto brasileiro e se tornar um dos antepastos mais pedidos nos restaurantes. Sua versão original, de carne, foi criada nos anos 1950 pelo restaurateur Giuseppe Cipriani, dono do Harry’s Bar, em Veneza. De lá para cá, a iguaria ganhou novos ingredientes, acompanhamentos e leituras, como as versões com vegetais e peixes, que só fizeram aprimorar ainda mais o prato.

Foto: Ricardo Bhering | Divulgação

Se a ideia é elevar o carpaccio a outros patamares, a chef Carmem Suarez, escolheu ousar incluindo manga no prato.

— Juntei duas grandes paixões que são os frutos do mar e as frutas para compor um prato leve, colorido e delicioso. Unir o sabor de um peixe leve com o doce da manga fez o carpaccio ficar divino — conta.

Já Cynthia Carvalho, apostou numa combinação pouco convencional que logo chamou a atenção na casa: o carpaccio de maxixe e caju:

— Chegamos a esta receita testando ingredientes que combinam com carpaccio, que têm frescor e são versáteis. O público ama carpaccio, sempre tem grande saída. Já fizemos de melancia também mas o que sai bastante mesmo é o de maxixe, o de pupunha e o de abobrinha.