Moda e Beleza

Blogueira ensina como comprar roupa de forma eficiente

Anuschka Rees apresenta várias dicas em seu livro 'Os segredos do guarda-roupa europeu'

Luiza Barros, da Agência O Globo

Um insta, um snap, e pronto: a "bolsa desejo da estação" passada acaba de ser substituída. Em tempos de correria fashion, com calendários que se sobrepõem e it-girls que ganham e perdem fama tão rapidamente quanto os produtos que divulgam, a blogueira alemã Anuschka Rees encontrou um nicho fazendo exatamente o contrário. Ao invés de ganhar seguidores ostentando peças que seus leitores nunca vão ter, ela conquistou sua audiência ao disseminar práticas para montar um guarda-roupa eficiente, com menos volume e mais utilidade. A experiência no blog deu tão certo que virou um livro, “Os segredos do guarda-roupa europeu”, que chega ao Brasil na próxima segunda-feira pela Paralela, selo do grupo Companhia das Letras.

— Comecei o blog em 2013, quando fazia meu mestrado na Inglaterra. Londres é uma cidade onde é fácil comprar em excesso. Percebi que possuía muitas roupas mas, ao mesmo tempo, nunca tinha nada para vestir. A partir desse momento, decidi fazer uma curadoria do meu guarda-roupa — conta a jovem de 29 anos, que aproveitou a formação em Psicologia para compor os métodos que introduz no livro.

— Combino o que aprendi na faculdade com os dilemas que as leitoras do blog trazem a mim. Na verdade, não é um livro sobre moda, e sim sobre Psicologia — defende Anuschka. — Um assunto forte, por exemplo, é a tomada de decisão. Existem pesquisas que apontam como os humanos são ruins em fazerem escolhas, em como somos facilmente influenciados por pequenos detalhes. Mas existem técnicas para consertar isso.

Um primeiro passo sugerido por Anuschka é fazer uma imersão pessoal para descobrir qual é o seu estilo, ao invés de comprar roupas que não conversam entre si, seguindo apenas liquidações e os humores de cada temporada. Para isso, ela sugere definir uma paleta de cores, selecionar peças-chave e até elaborar um moodboard para si mesma, conforme os estilistas fazem com suas coleções.

Exemplos de look semelhantes as dicas de Anuschka  (Foto: Reprodução)

— É tudo sobre autoaceitação. Não é uma ideia opressiva de encontrar um estilo e ficar com ele para sempre, e sim de pensar no que você realmente gosta, ao invés de aceitar tudo que as pessoas dizem que está in — explica a alemã, que também desconsidera aquelas regras de caimentos e decotes para cada tipo de corpo, algo tão comum em manuais de estilo pessoal.

— Um problema comum é gostar de algumas roupas mas achar que não pode usá-las por causa do formato do seu corpo. Odeio essa ideia de que um look tem que ser “atraente”. Isso não é saudável. Muitas mulheres acham, por causa disso, que seus corpos não são bons o suficiente.

Outra árdua tarefa é resistir aos apelos de marcas de fast-fashion, que empurram itens de baixa qualidade em troca de preços sedutores.

— É uma questão de valor. Nossas avós não estavam acostumadas a ter tantas roupas, então a cada peça que compravam, tinham que se certificar da qualidade. Assim que você decidir não comprar uma tonelada de roupas por ano, vai prestar mais atenção nelas.