Moda e Beleza

Saiba como cuidar das roupas que não estão em uso

Com a pandemia e as medidas de isolamento social, é preciso desenvolver estratégias para manter as roupas armazenadas da forma correta e, assim, evitar manchas ou a probabilidade de acelerar o desgaste

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Com as medidas de isolamento social, as roupas e calçados voltados para o dia a dia de trabalho e saídas passaram a ser menos utilizadas. Nesse contexto, é preciso desenvolver estratégias para manter as roupas armazenadas da forma correta e, assim, evitar manchas ou a probabilidade de acelerar o desgaste, principalmente os sapatos.

Para te ajudar a evitar possíveis estragos às peças nesse período, a professora de tecnologia têxtil da UNIFACS, Rosinha Levita, separou algumas dicas. Confira:

1.    Separe as roupas que estão em uso das que não estão


Separe as roupas que você tem utilizado no dia a dia e deixe-as bem visíveis no armário. Já as que não estão em uso podem ser deixadas em um local que você tenha menos acesso e onde podem ficar bem fechadas. Se tiver caixas plásticas, essas podem ser uma boa opção para evitar que a umidade do período chuvoso chegue às peças.  

2.    Os sapatos

Embrulhe em saquinhos de TNT (como os usados em viagem) e, se tiver espaço, coloque dentro das caixas.  Segundo a especialista, tais cuidados evitam a poeira e o desgaste causado pela umidade, entre outros problemas.  



3.    Abra os armários!  
Vai dormir? Abra um pouco os armários durante a noite pra deixar circular o vento. Isso ajuda a evitar a proliferação de fungos no local.

4.    Se sentir vontade, use!  

Ficou com saudade de se arrumar ou usar uma peça que gosta? Não é porque está em casa que não pode. Inclusive a especialista conta que, mesmo estando em casa, se arrumar para trabalhar como se estivesse no escritório pode ajudar a dar mais motivação.  

“Roupas comunicam inclusive nesse período de quarentena. Colocar um acessório ou usar uma peça mais arrumada pode mudar o que talvez seja mais um dia chato em casa”, conclui Levita.