Nem Te Conto

Ex de João Gilberto não tem para onde ir e passa fome, diz jornal

Maria do Céu será despejada da sua atual residência

Agência O Globo
Pouco mais de sete meses após a morte de João Gilberto, Maria do Céu Harris ainda luta na Justiça pelo reconhecimento de união estável com o cantor num processo que corre em segredo de Justiça. Mas em outro processo, ela é ré ao lado de Bebel Gilberto, filha do pai da bossa nova.

As duas estão sendo processadas pela proprietária do apartamento em que João Gilberto viveu seus últimos anos. O endereço do músico na rua Carlos Góes continua ocupado por Maria do Céu, mas desde agosto não houve pagamento de qualquer despesa, como aluguel e condomínio, totalizando um montante de quase R$ 100 mil.

Foto: Reprodução | Instagram 

No dia 26 de março haverá uma audiência de mediação, mas Maria do Céu já sabe que será despejada. A questão é que ela não tem para onde ir. “A situação dela é muito preocupante. Ela não tem onde ficar, não possui parentes e os poucos amigos que restaram não querem se envolver nisso”, conta uma amiga: “Nem alimentação ela tem direito”.
Nova inventariante
Quando morava com João Gilberto, Maria do Céu e o músico tinham as contas do apartamento pagas por Bebel Gilberto, que, na época, possuía a curatela do pai. Com sua morte, a cantora entrou com uma petição para ser a inventariante, mas desistiu no decorrer do processo. O irmão, João Marcelo, que mora nos EUA, também chegou a requerer a curatela e posteriormente a morte do pai ser o inventariante, mas como está longe, a movimentação fica comprometida.
Assim, o Ministério Público sugeriu que a advogada Silvia Regina Dain Gandelman seja a inventariante daqui para a frente. Caso aceite, ela vai gerenciar o que o músico receberia de direitos autorais, sua especialidade. O dinheiro proveniente disso será destinado a uma conta judicial para os herdeiros reconhecidos legalmente.
Como Maria do Céu ainda tenta provar que era a companheira de João Gilberto até ele morrer, ela não poderá receber nenhuma quantia até que o processo tenha uma sentença. Caso seja favorável a ela, Maria do Céu passa a receber uma parcela desse montante. João Gilberto não deixou bens além de sua própria obra.