Nem Te Conto

'Globo de Ouro Palco Viva Axé' vai ao ar no dia 19; veja atrações

O especial reúne de pioneiros, como Luiz Caldas, até a nova geração, com nomes como Ivete Sangalo e Saulo

Camila Botto (camila.botto@redebahia.com.br)

O ritmo mais baiano do Brasil trintou e ganhou uma comemoração digna de todos seus Carnavais. O Globo de Ouro Palco Viva especial axé começa a ser exibido dia 19, às 22h30, no Viva. Ao todo, serão 10 programas com 80 artistas interpretando mais de 70 sucessos.

Na estreia, se apresentam Luiz Caldas, Saulo, Ludmilla, Terra Samba, Babado Novo, além de um encontro de Gilberto Gil e Ivete Sangalo. “A filosofia e a narrativa desse programa reafirmam o que a gente tem feito: exibir os hits da cena, misturando novos talentos com grandes cantores e compositores, como Gil e Caetano, por exemplo”, afirma Letícia Muhana, diretora do canal.

Foto: Arte iBahia

A festa segue com nomes de  pioneiros como Luiz Caldas, Sarajane, Gerônimo, Márcia Short e Carlinhos Brown; as divas Daniela Mercury, Ivete Sangalo, Claudia Leitte e Margareth Menezes; bandas tradicionais como Eva, Cheiro de Amor e Timbalada; os afros Olodum, Filhos de Gandhy, Muzenza, Ilê Aiyê e Cortejo Afro; além de vocalistas que marcaram época, como Carla Visi, Tatau e Márcia Freire.

A apresentação fica a cargo dos atores Márcio Garcia e Carolina Dieckmann, que estiveram em Salvador em agosto para gravar o especial no Teatro Castro Alves. Ele já tinha apresentado a primeira versão do Globo de Ouro Palco Viva em 2014, enquanto Carol estreia na função de apresentadora.

“Estou adorando. Primeiro, porque amo música, tenho facilidade para falar sobre o assunto, me soltar e até dançar um pouco. Depois, porque tem o Márcio (Garcia), que conheço há 21 anos, ao meu lado”, pontua a atriz.

Os atores Márcio Garcia e Carolina Dieckmann comandam o especial
(Foto: João Franco/Divulgação)

Apresentadores

Muito amiga de nomes como Ivete Sangalo e Preta Gil, Carolina é só elogios para a Bahia. “Me sinto muito à vontade na cidade. É um lugar solar, com praias lindas. Antes das gravações, aproveitava para dar um mergulho no mar e ainda encontrei muitos amigos, tem melhor do que isso?”, diz.

Carol também se rende ao axé: “Não sei as músicas muito antigas, mas ouço desde que tenho uns 10 anos. Várias me marcaram, mas tem uma em especial, da primeira vez que ouvi falar em Carnaval de Salvador. Eu estava na casa de um amigo, em Angra dos Reis,  e me lembro de começar a dançar música baiana. É aquela assim ‘Vou dar a volta no mundo,  vou ver o mundo girar’”.

Caetano e Gil se uniram ao Olodum para relembrar o clássico Nossa Gente (Avisa Lá)
(Foto: João Franco/Divulgação)

Apesar de não ser tão ligado à Bahia, Márcio garante que foi um prazer comandar o especial. “Foi bacana. A primeira apresentei com a Ju (Juliana Paes) e agora com a Carolzinha, duas queridas. Foi divertido. Eu sou mais visual do que áudio, mas eu curto todo tipo de música. Não tenho nenhuma predileção pelo axé em si, mas gosto de tudo. Eu acho que tudo tem sua hora”, afirma ele, que arriscou uns passos e passou por debaixo da cordinha ao som do É o Tchan.

O pontapé inicial será dado pelo pai do axé, Luiz Caldas, que interpreta Fricote e Haja Amor. Os pontos altos prometem ser os encontros entre nomes como Armandinho, Dodô e Osmar (Chame Gente), Banda Cheiro de Amor, reunindo as vocalistas Carla Visi, Márcia Freire e Vina (Vai Sacudir, Vai Abalar e Auê), Neto LX e Preta Gil (Gordinho Gostoso), Daniela Mercury e Ivete Sangalo (Maimbê Dandá e Cadê Dalila) e Caetano Veloso, Gilberto Gil e Olodum (Nossa Gente).“Vai ser difícil cantar novamente Nossa Gente (Avisa Lá) sem a presença do Olodum”, diz Caetano.

Encontros

“Daniela é uma referência muito forte na minha carreira. Vivo com ela a experiência  como intérprete de alguém que sou muito fã”, elogia Ivete. “Tenho praticamente a idade do axé. Então, cresci vendo e sentindo essa música acontecer”, afirma Claudinha, que vai interpretar Amor Perfeito e Extravasa.

Um dos grandes nomes da axé music, o cantor Bell Marques interpreta o hit 100% Você
(Foto: João Franco/Divulgação)

Margareth Menezes, que faz um número com o Muzenza, ressalta a importância do Globo de Ouro. “É um programa importante. O axé traz o surgimento do trio elétrico, favorece a música popular brasileira como um todo. Hoje tem gospel, sertanejo no trio. Virou um equipamento de som”, afirma.

Mas nem só de momentos descontraídos vive o especial. Os telespectadores devem se emocionar no programa do dia 26, quando Netinho volta ao palco e canta um dos maiores sucessos da música baiana: Milla. “Estava sem cantar há dois anos e minha voz não está totalmente recuperada. Muito feliz em participar deste programa, que é uma grande oportunidade para a Bahia musical”, diz o cantor.

O pagode, uma das vertentes de maior sucesso na Bahia nos últimos anos, também tem espaço garantido no especial. “É um privilégio participar com essa música (Rebolation), que estourou em 2009. Um momento especial da minha carreira, um fenômeno que não sai do meu repertório”, conta Léo Santana.

O Harmonia do Samba também marca presença com os sucessos Agachadinho, Vem Neném e Desafio. Casada com Xanddy, Carla Perez revive seus tempos de dançarina e quebra tudo ao som de Mexe, Mexe, Mainha. Outro que reviveu os tempos de É o Tchan foi Jacaré, que dançou com o grupo os sucessos Melô do Tchan e Dança da Cordinha.

Pioneira, Sarajane interpreta seu sucesso A Roda (Foto: João Franco/Divulgação)

A nova geração também está no especial representada por nomes como Saulo, Tomate, Pipo e Rafa Marques e Katê. Eles se misturam a nomes de outros gêneros como Aviões do Forró, Tayrone, Targino Gondim e Mariana Aydar.

A ideia desse tema para a edição 2015 do Globo de Ouro nasceu com muito dendê. Os jornalistas baianos Paulo Borges e Osmar Marrom Martins pensaram no projeto e entraram em contato com a diretora, que também é baiana.

“Conversamos sobre o axé e sobre as dificuldades do gênero nos últimos anos e em como isso seria uma homenagem bacana. Procuramos Letícia e ela adorou a ideia”, conta Marrom, que é colunista do CORREIO.

Em seguida, Letícia convidou a Gegê Produções Artísticas para coproduzir o projeto. A Gegê também participou da primeira edição do Globo de Ouro Palco Viva, em 2014. No ano que vem, o gênero homenageado será o sertanejo.


Correio24horas