Nem Te Conto

Monique Evans detona ex-namorada: 'Enjoei da sua voz e de você'

As duas se separaram recentemente após viverem um relacionamento de 6 anos

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em


Monique Evans detonou a ex, Cacá Werneck, na noite desta quinta-feira (7). Em stories, no Instagram, a ex-'Fazenda' afirmou ter enjoado da DJ. As duas se separaram recentemente após viverem um relacionamento de 6 anos.

"Nunca mais quero te ver. Enjoei da sua voz e de você. Ainda bem que me livrei de você. Muito, muito triste ter vivido seis anos com essa pessoa", disse Monique.

Em entrevista à 'Vogue Brasil', a mãe de Bárbara Evans fez um longo relato e contou os detalhes que fizeram a relação entre ela e a DJ chegar ao fim. Leia abaixo:

"Tudo começou quando a Cacá alugou um apartamento sem me contar. Foi difícil, porque não sou tão moderna a ponto de morarmos separadas depois de seis anos sob o mesmo teto. Um dos motivos pelo qual também discutimos foi porque Cacá fez algumas lives sem usar máscara. Ela beijou outras pessoas, colocou uma bailarina no colo. Essa irresponsabilidade me chocou. A Cacá sabia que em casa havia uma pessoa do grupo de risco. Eu tenho 64 anos e não estava saindo. O comportamento dela me fez mal, tanto que fui infectada pelo novo coronavírus. Outra briga que tivemos aconteceu porque comentei sobre uma pessoa com quem me relacionei. A Cacá se trancou no banheiro da empregada com raiva. Eu temi que ela estivesse tendo mais um surto -ultimamente, ela vem tendo dificuldades para lidar com o transtorno de boderline e era eu quem estava cuidando dela. Além disso, a Cacá parou de fumar maconha e está sofrendo com abstinência. Por isso, fiquei com medo de ela fazer alguma coisa contra a própria vida e decidi quebrar o vidro pra ver se estava tudo bem. Estava. Neste momento, resolvi ir embora para minha casa, mas ela não queria me entregar a chave. Só aceitou que eu fosse caso me acompanhasse. Ela estava descalça, de pijama, sem máscara, com suspeita de Covid-19. Quando chegamos no meio da rua, ela me empurrou de volta para dentro do prédio --ela é muito mais forte que eu. Eu pedi socorro para o porteiro e para moça que estava entregando jornais. A Cacá subiu batendo nas paredes do elevador. Quando chegou lá em cima, eu chorei, chorei, chorei e pedi pelo amor de Deus para poder voltar pra casa. Ela me levou, mas sem máscara. Caminhamos um quarteirão e meio. A partir daí, pra mim, nosso relacionamento havia acabado"