'Velho Chico': Sophie e Lucas se beijam


Sophie (Yara Charry) e Lucas (Lucas Veloso) vão ficar tão próximos que trocarão até um beijo em “Velho Chico”. Ele está debruçado pelo beco que divide o bar e a Igreja e chora pelo sumiço de Santo (Domingos Montagner) até perceber a aproximação de Sophie. Ela pergunta se ele está bem. “Tá. É só que tava aqui pensando nuns negócios aí e… quando vi…”, diz ele, que vai secar o rosto quando ela segura suas mãos, amiga. “Não precisa ter vergonha…”, fala ela. “Num é vergonha, não… se for, é só um pouco!”, responde Lucas.
Ele tenta forçar um sorriso que não sai, então expressa sua dor. “É que… é que eu não posso deixar de acreditar, Sophie!”, diz. “Lá fora, pro mundo, talvez não… mas aqui, pra mim, você não precisa ser forte”, opina a moça. “Preciso. Eu preciso ter fé que não foi nada, que o presida tá bem… que ele vai voltar!”, continua Lucas. “Não o tempo inteiro… você pode se permitir, às vezes, duvidar”, diz Sophie, que acarinha seu rosto olhando dentro dos seus olhos. 

Eles sentem um magnetismo que não se pode negar. “Você passou o dia dando força pra todos. Tudo bem você precisar de alguém que te dê força também… tudo bem você se permitir chorar!”, fala. Seus rostos estão cada vez mais próximos. “Não consigo de te ver sofrer…”, continua ela. Até que, inesperadamente, um beijo acontece. Eles afastam seus lábios, constrangidos, e certos de que aquilo não deveria ter acontecido. Se olham sem saber dizer de quem foi a culpa e se abraçam.
Paira um silêncio constrangedor. Eles se olham sem saber ao certo o que dizer. “Sophie… Olha, não sei o que houve aquela hora”, fala ele. “Nem eu”, responde ela. “Sei nem dizer se foi culpa minha, sua ou de quem. Só sei que foi confuso, fora de hora…”, continua Lucas. “Não sei se tinha hora pra isso acontecer…”, responde ela, sem graça. “É. Mas já que aconteceu… não sei se é certo se repetir e se repetir… não, não vai se repetir”, fala Lucas, que sorri encabulado. “Não é hora de graça, eu sei… Só quero dizer que se foi culpa minha, desculpe, viu?”, pede ele. “Não sei se teve culpa. Mas, se teve, acho que não foi minha nem sua, foi nossa”, responde Sophie. Vão se despedir naquela confusão de beijo e aperto de mãos e dessa vez decidem se dar as mãos.

Veja também: