Carnaval

Mais de 16,5 milhões de pessoas nas ruas: veja o balanço final do Carnaval 2020

ACM Neto apresenta balanço da última folia como chefe do Executivo municipal

Redação iBahia (redacao@port)
- Atualizada em

O prefeito ACM Neto divulgou, nesta Quarta-feira de Cinzas (26), o balanço final do Carnaval 2020. A coletiva aconteceu no Camarote Oficial da Prefeitura, no Campo Grande, e reuniu imprensa, secretários e gestores.

Foto: Valter Pontes/Secom
A festa momesca teve público recorde com 16,5 milhões de pessoas desde o pré-Carnaval, incluindo palcos temáticos e bairros.  “O ganho definitivo do Carnaval, o legado que deixamos para o futuro da cidade e que não vai mudar, é que as pessoas reencontraram as ruas. O Carnaval voltou a acontecer de forma mais ampla, democrática e participativa, bem diferente de como encontramos em 2013”, comemorou ACM Neto.

“Hoje, temos uma festa que é a da harmonia e da alegria. Asseguramos os espaços públicos por quem faz o Carnaval, que são as pessoas. Quem está dentro bloco convive perfeitamente com quem está fora. É possível curtir grandes atrações sem precisar comprar abadá”, acrescentou.

O prefeito ainda ressaltou que o Carnaval soteropolitano passou por que serão definitivas para os próximos anos, independente de que assuma a próxima gestão. Aliás, o próximo gestor da cidade terá pouco mais de um mês para organizar a folia de 2021, que começa mais cedo.

“Uma multidão tomou conta de Salvador, coroando todo desse trabalho que vem sendo feito desde 2013. Não existe lugar nenhum no planeta que faça uma festa dessa magnitude, com esse nível de organização, de estrutura e qualidade de serviços como Salvador faz. E, assim que ficarmos sabendo quem será o próximo prefeito, vamos ajudar com uma equipe de transição a organizar a festa em 2021”, disse.

Muita música

O prefeito de Salvador destacou que os dias oficiais do Carnaval dos Carnavais trouxeram aos foliões 2.600 horas de música e 1.016 apresentações, realizadas tanto nos trios como nas fanfarras, palcos e blocos de chão. Mais de 12.7 mil artistas se envolveram na programação do Carnaval da folia.

A capital baiana também levou o folião pipoca a se esbaldar nos Circuitos Dodô (Barra/Ondina), Osmar (Campo Grande) e Batatinha (Pelourinho), com 210 atrações sem corda. Além disso, mais de 1,1 milhão de pessoas participaram do Carnaval nos Bairros, que aconteceu na Boca do Rio, Nordeste de Amaralina (Circuito Mestre Bimba), Itapuã, Pau da Lima, Liberdade, Cajazeiras, Periperi e Plataforma e nos Espaços Temáticos (palcos do Rock, Origens, Mix, Terreiro do Samba, Multicultural, Beco das Cores e Torre Eletrônica). Já o Carnaval Náutico reuniu 200 embarcações na Baía de Todos-os-Santos.


  • Abaixo dados de balanço do Carnaval 2020:


Segurança
O Carnaval 2020 não teve sem ocorrências graves ou óbitos nos circuitos da festa. A Guarda Civil Municipal registrou, através do Núcleo de Estatísticas, 1.501 atendimentos no apoio aos órgãos públicos e ao cidadão, representando um aumento de 41,5% em relação ao ano passado (1.061). Além disso, foram contabilizadas 20 ocorrências, representando uma redução de 41,5%, em relação a 2019, quando foram anotados 45 registros.

Nas ações em apoio à Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop), foram registradas a apreensão de 2.522 objetos perfurocortantes, representando um aumento de 118,5% em relação ao mesmo período do Carnaval do ano anterior (1.154).
 
Saúde

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) realizou 5.630 atendimentos até as 5h desta Quarta de Cinzas (26), sendo 5.613 nos postos do circuito. O número representa aumento de 13% em relação ao ano de 2019. Além disso, 17 atendimentos ocorreram  nos postos fixos.

O circuito Dodô (Barra/Ondina)  realizou 4.051 atendimentos, enquanto que o Osmar (Campo Grande) foi responsável por 1.366 atendimentos e circuito Batatinha (Pelourinho) por 196 atendimentos.

Os postos do circuito Barra/Ondina e Batatinha registraram um aumento de 20% e 6%, respectivamente, em relação ao mesmo período de 2019, enquanto o circuito Campo Grande apresentou uma redução de 4% no total de atendimentos.

Em relação ao ano de 2019, os módulos que apresentaram crescimento no número de atendimentos foram: Morro do Gato (34%), Shopping Barra (28,5%), Farol da Barra (22%) e Adhemar de Barros (15%). As maiores reduções ocorreram nos módulos Politeama (-15%) e Montanha (-12%), respectivamente.

Dos 5.630 atendimentos, 4.560 foram clínicos, 487 bucomaxilofacial, 321 ortopédicos, 136 de enfermagem e 126 cirúrgicos. Houve aumento de 116% dos atendimentos de enfermagem, 17% de bucomaxilofacial, 14% clínicos e redução de -35% dos atendimentos cirúrgicos e -1% ortopédico, em relação ao ano de 2019.

As principais causas de atendimentos foram: agressões físicas (611), intoxicação alcoólica (550), Dor “membros inferiores” (510), cefaleia (435), ferimento acidental (352) e tontura (333).

Em relação ao ano de 2019, foi registrado um aumento de 8,7% por intoxicações alcoólicas. Os atendimentos em decorrência de agressão por arma branca (155) reduziram em -39%, em relação ao ano anterior.

Fique Sabendo

O projeto ‘Fique Sabendo’, promovido pela Secretaria Municipal da Saúde de Salvador, apontou uma redução nos casos positivos de Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST’s), durante os seis dias oficiais do Carnaval, se comparado com a folia de 2019. Este ano, 245 pessoas foram diagnosticadas com HIV (43), sífilis (187), além das hepatites B e C (15). No Carnaval de 2019, foram 249 pacientes reagentes para uma das IST’s.

No entanto, as ocorrências de HIV tiveram um aumento expressivo em relação ao ano passado: foram 43 indivíduos em 2020, quase o dobro dos pacientes do ano passado, quando 26 pessoas tiveram o diagnóstico positivo.

Já a sífilis quebrou uma sequência de três anos com o número de casos estáveis e obteve uma redução de 9%, com 187 testes positivos contra os 206 detectados em 2019. O mesmo se aplica para as hepatites que reduziram em 50% o índice de infectados, no mesmo período.

A procura nas unidades municipais elevou o nível este ano. Mais de 190 pessoas buscaram o serviço em relação ao último ano. No total, 1.716 foliões foram beneficiados com a testagem.

Preservativo e gel

Pouco mais de um milhão de preservativos masculinos e femininos foram distribuídos nos circuitos oficiais da folia, para estimular a prática do sexo seguro e prevenção durante o Carnaval.

Mesmo com a disponibilização de três milhões de camisinhas em pontos a cada mil metros, os foliões reduziram a procura pelo insumo se comparado com 2019 - houve uma redução de 45% de camisinhas, quando quase dois milhões foram dispensadas. Além disso, houve a liberação de 74 mil géis lubrificantes.

Vigilância Sanitária
A Vigilância Sanitária de Salvador (Visa) registrou um baixo índice de notificações no Carnaval deste ano. Dos 7.756 estabelecimentos inspecionados pelas equipes da Visa nos seis dias de folia, apenas sete foram interditados parcial ou totalmente por inconformidades sanitárias.  Esse pequeno número é fruto das ações do órgão no pré-Carnaval, como treinamentos e capacitações com os profissionais habilitados para atuar na comercialização durante a folia.

Já as atividades de monitoramento da qualidade da água, que também foram iniciadas antes dos festejos de Momo, tiveram repercussão positiva durante a folia. Dos quase 200 estabelecimentos inspecionados por técnicos da Vigilância Ambiental, apenas oito amostras de água coletada apresentaram algum tipo de inconformidade.

Identificação de crianças
Durante as ações na folia, a Guarda Civil identificou um total de 36.491 crianças, com pulseiras contendo dados como o nome da criança, dos pais ou responsáveis e telefone para contato, além da distribuição de 6.522 panfletos com dicas de segurança.
 
Documentos recolhidos
Foram recolhidos 362 documentos, um aumento de 40,9%, se comparado ao mesmo período do ano anterior (257).   O folião pode acessar o site da Guarda e verificar se o nome consta na lista de documentos perdidos.

Com a confirmação, a pessoa deve se dirigir à sede do órgão, na Avenida San Martin, das 8h às 17h, até esta sexta-feira (28), em posse de um documento original com foto ou boletim de ocorrência para fazer a retirada.

Fiscalização
A Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur) apreendeu 11.740 bebidas que estavam sendo comercializadas de forma irregular nos circuitos da festa. Entre o material estão latas e garrafas de cervejas, refrigerantes, água e vodka, cujas marcas não fazem parte da patrocinadora oficial da folia.

 Os fiscais do órgão retiraram das ruas 14.176 itens de publicidade não autorizada, entre panfletos, banners, balões, abanos, viseiras, sombreiros, dentre outros materiais e fizeram 2.584 vistorias em estruturas e atividades comerciais. Foram emitidas 463 notificações, feitos quatro embargos e lavrados 22 autos de infração.

Transporte
Foram transportados nos seis dias de folia 4.912.380 milhões de pessoas no sistema convencional de ônibus da cidade. Nas 90 linhas que operaram 24 horas, foram levados 2.760.274 passageiros, 14% a mais que 2019.

Já nos veículos do sistema complementar, os chamados “amarelinhos”, foram transportadas 258.965 pessoas. Cerca de 660 mil passageiros utilizaram o serviço da linha gratuita Lapa-Calabar. A linha especial que fez o itinerário Estação da Lapa ao futuro Parque Shopping, em Lauro de Freitas, transportou nos seis dias 15.546 mil pessoas. Já o Expresso Carnaval bateu recorde este ano, transportando mais de 66.067 mil pessoas.

Quem optou pelo táxi como transporte contou com excelente oferta de veículos no circuito. Pelo modal, 175.901 mil foliões utilizaram o serviço. Durante todos os dias de folia, 93 taxistas foram autuados, sendo 38 recusas de passageiros e 44 por cobranças abusivas.

Os mototaxistas transportaram mais de 117 mil passageiros. O Elevador Lacerda, que operou gratuitamente durante a festa momesca, levou 205 mil pessoas. No Plano Inclinado Liberdade / Calçada, 35 mil pessoas utilizaram o equipamento.

Trânsito
O Carnaval 2020 foi mais seguro para o trânsito de Salvador. Isso porque o número de acidentes registrados pela Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador) entre a desde o início da festa até a terça-feira (25) foi 47% menor que o registrado nos seis dias de folia de 2019. Este ano, o órgão de trânsito registrou 76 ocorrências, contra 144 no ano passado.

Este ano, 55 pessoas ficaram feridas em acidentes e duas mortes foram registradas. No mesmo período de 2019, a Transalvador registrou 81 feridos e cinco mortes em acidentes na capital baiana.

O órgão de trânsito reforçou a fiscalização de Lei Seca durante o Carnaval. Uma das novidades foi a blitz itinerante, realizada de forma rápida em pontos estratégicos. O foco principal deste tipo de fiscalização foram os mototaxistas, em especial os clandestinos, para coibir irregularidades por parte destes.

Entre as principais infrações registradas com os mototaxistas foram falta de habilitação do condutor, irregularidades na documentação do veículo, além de consumo de bebida alcoólica. Durante estas blitze, 507 mototaxistas foram abordados, 49 foram autuados por consumo de bebida alcoólica, 41 tiveram a CNH recolhida e 27 motocicletas foram recolhidas ao pátio da autarquia.

Blitz de alcoolemia
A Transalvador também realizou diariamente blitz de alcoolemia com motoristas profissionais que prestavam serviço durante a festa. Este ano, a equipe de Educação para o Trânsito abordou 4.468 motoristas, sendo 1.472 taxistas, 1.103 motoristas de ônibus, 1.674 motoristas a serviço da Prefeitura e 219 mototaxistas credenciados. Nenhum deles foi flagrado por ter consumido bebidas alcoólicas em serviço.

A blitz de alcoolemia realizada com os demais condutores abordou, entre quarta-feira (19) e esta terça-feira (25), 2.968 pessoas, dos quais 183 foram autuados por consumo de álcool, 159 CNHs foram recolhidas e 66 veículos foram removidos ao pátio da Transalvador.

Este ano nenhum condutor foi flagrado por crime de trânsito, quando o teor alcoólico é superior a 0,3mg/L, diferente de 2019, quando foram identificados dois condutores nesta situação.
 
Fiscalização
A faixa exclusiva para ônibus e táxis foi instalada na Avenida Centenário, entre o viaduto dos Reis Católicos e o retorno próximo ao Calabar, autuou, entre quinta-feira (20) e esta terça-feira (25), 7.289 veículos que transitaram de forma irregular pelo local. Já a equipe de fiscalização do órgão autuou 6.335 veículos em situação irregular. Destes, 432 foram removidos ao pátio da autarquia.
 
Nas mais de 2 mil vagas de Zona Azul oferecidas para a festa, foram vendidos 7.804 tíquetes de estacionamento entre quinta-feira (20) e esta terça-feira (25). Dos veículos que utilizaram estes espaços, 1.538 foram autuados por estacionamento irregular. Diariamente, cerca de 350 agentes de trânsito atuaram na operação.

Atendimento ao turista
Aproximadamente 19 mil guias do Carnaval 2020 foram distribuídos no Aeroporto, Elevador Lacerda, Porto, Rodoviária, Shopping Barra e Av. Centenário. Além disso, 900 mapas da cidade distribuídos; 1.048 turistas nacionais e internacionais foram atendidos no postos de atendimento do Elevador Lacerda e Porto da Barra.

Ocupação hoteleira

A taxa média de ocupação hoteleira nos seis dias de Carnaval ficou em 88%, representando crescimento de 2,39% em relação ao mesmo período de 2019.

Defesa Civil
Durante o Carnaval 2020, a Defesa Civil procedeu o registro e acompanhamento de ocorrências que registradas no Sistema Integrado de Acompanhamento de Eventos. Foram contabilizadas 109 ocorrências, a exemplos de fiação solta ou exposta, pavimentação danificada, uso indevido de abrigo de ônibus, superlotação de trios e carros alegóricos, risco de queda de barracas, entre outras.

Ouvidoria
A Ouvidoria Geral do Município (OGM) registrou, em seis dias de festa, 8.688 demandas. Em relação a 2019, houve um acréscimo de 6,12% no número de atendimentos no Carnaval.

O destaque é para o aumento na quantidade de solicitações de serviço para 172,9%. Nesses atendimentos, o folião sinalizou para os agentes da Ouvidoria as demandas recorrentes nos circuitos da festa, a exemplo de fiscalização de poluição sonora, varrição das vias, lavagem de rua, fiscalização de ônibus e mototáxis, dentre outros serviços. Esse novo cenário se deve ao perfil da Ouvidoria mais presente e atuante na intermediação das demandas requisitadas.

Dos demais montantes, (55,1%) foram relacionadas a Informações/Orientações. Elogios somaram (34%), todos referentes à organização da festa - um aumento de 113,2% comparado a 2019 -,  e (1%) de reclamação, uma redução de (13,13%), também comparado 2019. Sugestões foram responsáveis por 4,3% dos atendimentos.

Demanda em números
Segundo a Ouvidoria, os órgãos mais demandados através dos agentes foram: Empresa Salvador Turismo (Saltur), com (59,6%); Empresa de Limpeza Urbana (Limpurb), com (12,4%); Secretaria de Mobilidade (Semob), com (8,3%); Secretaria Municipal da Saúde (SMS), com (4,9%); e Guarda Civil Municipal, com (3,7%) dos registros.

Os serviços mais elogiados foram: organização do Carnaval, com (40,4%); acesso aos circuitos do Carnaval, com (2,5%); limpeza dos banheiros climatizados, com (4,8%); e limpeza dos circuitos, com (3,5%) dos registros.

Avaliação
O folião presente no Carnaval de Salvador ainda pode avaliar os serviços municipais, até a sexta (28), através do Opine+, no endereço eletrônico opinemais.com/carnavalsalvador. A Ouvidoria de Salvador utiliza a ferramenta de modo piloto como forma de avaliar os principais serviços municipais, a exemplo do trânsito, transporte, limpeza urbana, iluminação nos circuitos, dentre outros.