Salvador

Corpo de argentino morto na orla de Patamares continua no IML

As informações foram divulgadas na noite desta quinta-feira (18) pela assessoria de comunicação do órgão

Da Redação*
- Atualizada em



O corpo do argentino Amilkar Alberto Ibarra, 49 anos, continua no Instituto Médico Legal (IML) Nina Rodrigues, segundo informações divulgadas na noite desta quinta-feira (18) pela assessoria de comunicação do órgão.


O músico lírico foi assassinado quando andava no calçadão da orla de Patamares na terça-feira (16). De acordo com o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o argentino vivia em Salvador há nove anos e deixou uma filha de 6 anos. Sua atual esposa, que reconheceu o corpo no IML, é uma professora baiana. Ela disse à polícia que o marido andava diariamente na orla - o casal morava na Boca do Rio.


Em seu site, Amilkar se identificava como mímico e dizia ter "alma de menino".


A mulher disse que não sabe se o argentino recebeu alguma ameaça. Ela também contou que o celular dele foi roubado - a polícia havia descartado a hipótese o latrocínio, roubo seguido de morte. O argentino foi morto por dois homens que chegaram em uma moto, o abordaram e dispararam.


Nesta quarta-feira (16), o delegado Alex Gabriel, do DHPP, informou que trabalhava com hipótese de execução. "Todos os pertences da vítima foram deixados no local. Quem matou já havia premeditado", contou.


A primeira esposa do argentino, com quem teve uma filha, também deve ser ouvida pela polícia.


*Com informações do repórter Leo Barsan


Matéria original: Correio 24h

Corpo de argentino morto na orla de Patamares continua no IML