Salvador

Em dois dias, naufrágios deixam mais de 40 mortos em dois estados

Um dia após tragédia no Pará, ao menos 23 pessoas morrem na Bahia em acidente com embarcação que levava 129 passageiros

Agência O Globo
Pelo menos 22 pessoas morreram, informou o Comando do 2º Distrito Naval, no naufrágio de uma embarcação com 129 passageiros na Baía de Todos os Santos, além de quatro tipulantes, segundo a Associação dos Transportadores Marítimos da Bahia (Astramab). O acidente ocorreu durante uma viagem de Mar Grande a Salvador na manhã desta quinta-feira. O socorro está sendo realizado neste momento por três equipes da Capitania dos Portos e mais três navios da Marinha do Brasil, nas proximidades da Ilha de Itaparica.
Em apenas dois dias, o número de mortos em naufrágios no Brasil já chega a 44. No Pará, subiu para 21 o número de mortos no acidente com a embarcação clandestina "Capitão Ribeiro" no Xingu. A Secretaria Municipal de Saúde de Salvador informou que 34 vítimas foram levadas para atendimento no terminal náutico do comércio, incluindo um bebê de um ano, que foi reanimado durante duas horas pelo médico dentro de uma ambulância, mas não resistiu e morreu. Cinco ambulâncias do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) estão prestando socorro às vítimas. Três estão no terminal marítimo do comércio e duas foram encaminhadas para a ilha de Mar Grande, além de uma lancha.
A Secretaria informou ainda que está encontrando grande dificuldade para prestar o atendimento, devido ao número de embarcações, várias delas de pequeno porte. Além disso, a nota enviada à imprensa informou que todas as UPAS estão preparadas para receber às vítimas, além de vagas nas salas vermelhas para atender os casos mais graves.
Foto: Leitor Correio
— O socorro realizado pelas embarcações do Distrito Naval já resgatou 21 pessoas, que estão sendo encaminhadas para atendimento médico por medidas de segurança para verificar a condição de cada um. Elas não estão gravemente feridas, mas precisam dessa triagem médica. Não temos mais informações a respeito do que causou o naufrágio — disse o comandante Flávio Almeida. O naufrágio da lancha "Cavalo Marinho 1", da empresa "CL" e com capacidade para 162 pessoas, ocorreu por volta das 7h, quando saía de Mar Grande, na Ilha de Itaparica, com destino a Salvador.
A Polícia Militar informou que uma das vítimas foi socorrida e levada de helicóptero para o Hospital do Subúrbio, em Salvador. A aeronave do Grupamento Aéreo (Graer) e a 5ª Companhia Independente da Polícia Militar da Ilha de Vera Cruz auxiliam nas buscas. Outras vítimas estão sendo levadas para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Mar Grande e também para ao Hospital Geral de Itaparica.
O governador da Bahia, Rui Costa (PT), afirmou, por meio de nota em sua página ofical no Facebook, lamentar profundamente o acidente, manifestando sua solidariedade aos familiares das vítimas. "Todas as forças do Governo do Estado estão mobilizadas para dar assistência e prestar socorro às vítimas. Estou acompanhando pessoalmente esta difícil operação desde cedo e todas as providências foram tomadas imediatamente, com o reforço dos nossos efetivos nas áreas da segurança e da saúde pública. Deus está conosco neste momento difícil e confiamos no empenho das equipes de resgate", registrou o governador.
Por causa do acidente, o governo do Bahia cancelou a coletiva para lançamento do Réveillon de Salvador, que estava marcada para esta quinta-feira. Uma nova data será anunciada em breve, segundo a assessoria. O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM-BA), também se manifestou nas redes sociais, ressaltando que "uma equipe de psicólogos e assistentes da Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza está no local para prestar atendimento social e psicológico". "Neste momento de profunda dor, presto minha solidariedade às vítimas e familiares do acidente em Mar Grande. Todos os órgãos da Prefeitura estão envolvidos para ajudar nessa hora difícil", disse. "Vamos todos fazer uma corrente de fé", completou ACM Neto.
NO PARÁ, 21 PESSOAS MORREM EM NAUFRÁGIO
Na noite da última terça-feira, um acidente semelhante ocorreu com um navio com cerca de 70 pessoas a bordo no Pará, numa área chamada Ponte Grande do Xingu, localizada entre as cidades de Porto de Moz e Governador José Porfírio. Esta embarcação, porém não tinha autorização para o trasporte de passageiros.
Até a noite desta quarta-feira, dez mortes haviam sido confirmadas, enquanto 19 pessoas haviam sido resgatadas com vida — 13 homens e seis mulheres —, segundo a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) do estado.
Na noite desta quarta-feira, o Centro de Perícias Científicas (CPC) Renato Chaves liberou aos familiares na os corpos de nove vítimas do naufrágio. Há 23 sobreviventes, segundo a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) daquele estado.
Ainda de acordo com a Segup, os mortos identificados são: Luciana Pires, de 28 anos; Neiva Romano, 18; Maria Duarte, 57; Aurilene Sampaio, 36; Lucivalda Marques Oliveira, 41; Roseane dos Santos Leite, 25; W.L.O (5 anos) — todas naturais de Porto de Moz. Ainda há Orismar Miranda, 61; e S.H.S.S (1 ano) — estes provenientes da cidade de Altamira. O CPC liberou os corpos com a expedição da declaração de óbito para todos os familiares. Apenas o corpo de um homem, conhecido como Sebastião, ainda aguarda o reconhecimento dos parentes. Ele é a décima vítima e seria da cidade de Santarém.