Saúde

Barriga de chope e mais: como o consumo de álcool afeta sua saúde

Segundo o médico Jorge Valente, não existe um tratamento específico para a redução da circunferência abdominal

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br )

O consumo de álcool afeta a saúde em vários aspectos. Contribui para desencadear problemas cardiovasculares, diminui o nível de testosterona, o hormônio masculino, e causa o aparecimento da famosa "barriga de chope". 

“O álcool aumenta os níveis de cortisol que é o hormônio do estresse. O hormônio do estresse e a testosterona tem o mesmo precursor. Quando você aumenta muito o cortisol, você derruba a testosterona”, explicou o médico integrativo Jorge Valente. 

De acordo com o especialista, a testosterona é um hormônio que eleva a ação do metabolismo e acelera a queima de gordura. Só que quanto mais se ganha peso, mais o nível dela é reduzido no corpo. “A queda nos níveis favorece o aumento da circunferência abdominal. Então, cada vez que você vai ganhando mais peso, você vai baixando mais a taxa. E, quando baixa mais, o ganho de peso passar a se concentrar mais na região abdominal”. 

O resultado prático dessa combinação não costuma ser interessante. De modo geral, a circunferência aumentada é sinal indireto de sobrepeso. A obesidade, por exemplo, é o principal fator de risco para doenças cardiovasculares. O médico especialista pontua que é uma cadeia que se retroalimenta e por isso vale toda a atenção na ingestão de álcool.  

Mudança de hábitos

Segundo o médico Jorge Valente, não existe um tratamento específico para a redução da circunferência abdominal. Mas alguns fatores combinados podem frear o ritmo e ajudar na melhora do quadro. Como, por exemplo, corrigir a dieta e melhorar a prática de atividade física.   

Nesse sentido, a redução na ingestão de bebidas alcoólicas serve como aliado para equilibrar essa balança. “Com relação a quantidade para a manutenção da circunferência abdominal, isso é uma coisa muito pessoal. O ideal é que no início de quem está fazendo o tratamento para o emagrecimento, que o álcool seja cortado”, explicou o médico. “Depois que essa pessoa tiver o equilibro, que tudo fique bem, que ela tenha o consumo moderado”, complementou.