Saúde

Veja como o ressecamento vaginal pode afetar sua rotina

Há diversos fatores que podem ter relação com o ressecamento vaginal, inclusive o stress

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Como anda sua saúde íntima? De acordo com a Women´s Health Concern, uma associação que trabalha em conjunto com a Sociedade Britânica para a Menopausa, aproximadamente 17% das mulheres entre os 18 e 50 anos sofrem com secura vaginal bem antes de entrarem na menopausa, que geralmente ocorre após os 50 anos. Esse problema pode ser percebido através de alguns sintomas, como dor durante ou após a relação sexual, coceira, queimação e infecção bacteriana. 

Há diversos fatores que podem ter relação com o ressecamento vaginal, inclusive o stress. “A lubrificação acontece pelo fluxo de sangue que passa pela zona genital quando a mulher está excitada. Isso ocorre normalmente durante as preliminares da atividade sexual, então, se ela estiver nervosa ou estressada, certamente irá influenciar no nível hormonal e ela não vai conseguir ficar lubrificada”, explica a sexóloga da INTT, Lauren Souza.

O ressecamento vaginal é mais comum durante o pós-parto, tratamento de câncer, menopausa e uso de medicamentos específicos. “É fato que a secura vaginal acontece, na maioria da vezes, após a menopausa, pois é nesse período que a mulher passa por alterações hormonais e tem uma queda na produção de estrogénio, o que causa uma atrofia na região da vagina, levando à secura”, diz Lauren.

Mas esse problema não é restrito apenas às mulheres depois da menopausa, muitas não sabem, no entanto, a lavagem em excesso e a utilização de produtos inadequados na hora de realizar a higiene da região intima podem influenciar e agravar o ressecamento vaginal.