Brasil

Dez aeroportos da Infraero continuam sem combustível

Terminal de Brasília tem apenas 5% das reservas de querosene de aviação

Manoel Ventura, da Agência O Globo

A Infraero informou neste domingo que dez aeroportos controlados pela estatal continuam sem combustível por conta da greve dos caminhoneiros. A orientação é para que os passageiros companhia aérea para confirmar os respectivos voos.

Estão sem querosene de aviação aeroportos de três capitais: Maceió (AL), João Pessoa (PB) e Aracaju (SE).

Os terminais de Carajás (PA), São José dos Campos (SP), Uberlândia (MG), Ilhéus (BA), Juazeiro do Norte (CE), Joinville (SC) e Campina Grande (PB) também estão sem combustível.

“Os aeroportos estão abertos e têm condições de receber pousos e decolagens. Nos terminais em que o abastecimento está indisponível no momento, as aeronaves que chegarem só poderão decolar se tiverem combustível suficiente para a próxima etapa do voo”, informou a estatal.

Os aeroportos de Recife (PE), Vitória (ES), Petrolina (PE) e Goiânia (GO) receberam combustível entre sábado e domingo. Entre os terminais que recebem querosene de aviação normalmente estão os aeroportos do Galeão e Santos Dumont, no Rio, e Congonhas e Guarulhos, em São Paulo.

O aeroporto de Brasília, terceiro maior do país e controlado pela iniciativa privada, está com níveis “alarmantes” de combustível. Segundo a Inframérica, os reservatórios do aeroporto estão com a apenas 5% da capacidade, mesmo com a chegada de 10 caminhões de combustível neste sábado.


O terminal brasiliense recebe em média 20 caminhões tanque por dia. Desde o dia 22, quando a greve começou, até este domingo, o aeroporto recebeu somente 20 caminhões, número que representa apenas cerca de 16% da frota esperada para o período. Neste domingo, três voos foram cancelados por falta de querosene.