Mundo

Após 101 do naufrágio, violino do Titanic é autenticado

Instrumento é avaliado em pelo menos 100 mil euros e ficará exposto na prefeitura de Belfast, cidade onde o Titanic foi construído

Da Redação
- Atualizada em


Após 101 anos do naufrágio do Titanic, o violino do maestro da orquestra do Titanic foi encontrado em um sótão na Inglaterra e autentificado, informou uma casa de leilões britânica. Segundo Andrew Aldridge, da casa Henry Aldridge & Son localizada no sudoeste da Inglaterra, foram necessários sete anos para certificar a origem do instrumento, que milagrosamente sobreviveu ao naufrágio.


O instrumento, feito de em pau rosa, pertenceu a Wallace Hartley, chefe da pequena orquestra do Titanic, que ficou conhecida por ter tocado até que o navio desaparecesse no Atlântico em abril de 1912. O corpo de Hartley ficou dez dias na água, e o violino foi encontrado em uma mala de couro, que estava presa a seu corpo, disse Aldridge à AFP.


O violino foi presente de sua noiva Maria Robinson, e tinha uma pequena placa em prata escrita 'Para Wallys, por ocasião de nosso noivado. Maria', o que permitiu que ele fosse autenticado. Os peritos que examinaram o instrumento também concluíram que os sedimentos e a ferrugem encontrados no violino eram compatíveis com uma imersão na água do mar.


O violino chegou a ser enviado à Maria Robinson, mas após a sua morte, em 1939, foi confiado ao Exército da Salvação, mas como era quase impossível de tocar com o instrumento, ele foi então dado a uma família que o guardou em seu sótão.


Considerando que o violino é a lembrança mais importante do Titanic, o objeto ficará exposto a partir da Páscoa na prefeitura de Belfast, cidade onde o Titanic foi construído. Ele é avaliado em pelo menos 100 mil euros e por enquanto, não será colocado em leilão por enquanto, segundo Andrew Aldridge, que está negociando com museus.