Tecnologia

Confira quatro dicas para evitar que a tela do seu celular quebre

Problema é o mais frequente em redes de assistência técnica

Lucianne Carneiro, da Agência O Globo

Uma tela quebrada de celular é o temor de muita gente. Com os smartphones cada vez mais presentes no dia a dia, também avançam problemas pelo seu uso. Nas redes de assistência técnica, este é o principal defeito que leva os consumidores às lojas.

— A tela quebrada é o problema que mais traz as pessoas às lojas. E os maiores problemas são nos celulares que não têm qualquer proteção. Uma ação preventiva é a melhor forma de reduzir os riscos — diz o diretor comercial da Conserta Smart, João Paulo Lopes.

O uso de acessórios como películas e capas já aumenta em muito essa proteção, destaca o coordenador da iDream, Vandré Ducasble:

— Só de colocar uma película e uma capa a proteção fica maior, mesmo que não sejam os modelos mais sofisticados.


Use película
Há quem ainda ache que o uso de película seja frescura, mas quem trabalha no setor garante que a proteção é real. O produto pode ser encontrado em diferentes materiais, mas o vidro é considerado o mais indicado para proteger no momento de uma queda. No caso de um choque, há chance de só a película ser quebrada — e a tela ser preservada.

O grande desafio é que alguns modelos mais novos de celular têm as bordas arrendondadas, o que dificulta a aplicação da película de vidro.

— Os novos smartphones têm a borda arrendondada. Nesses casos, é preciso recorrer às películas de polietileno ou de silicone. Elas não são tão resistentes quanto às de vidro, mas evitam arranhões na tela — explica Vandré Ducasble.

Prefira capas com proteção
Independentemente do modelo, o uso de uma capa já aumenta a proteção sobre o aparelho, apontam especialistas. Em geral, a beleza ainda é o atributo mais procurado, mas as pessoas têm buscado alternativas com mais foco na proteção. Em algumas lojas, já existem até modelos a prova de bala — com custo à altura, que pode chegar a cerca de R$ 500.

Quem não estiver disposto a gastar tanto, deve recorrer a modelos como o que parece uma carteira ou aquele em que o material da capa não fica não apenas na parte de trás do aparelho.

— Temos percebido aumento da procura pelas capas no estilo carteira, que podem ser fechadas e protegem tanto a tela quanto a parte de trás — conta Edmilson Silva, sócio-proprietário da Rede Multi Assistência.

No caso desses modelos carteira, no entanto, a parte da frente só fica protegida enquanto o aparelho não está em uso.

Uma boa opção é a capa em que o material cobre também a borda da tela e fica mais alto. Assim, no caso de um impacto, a tela não é diretamente atingida.

Na escolha do material da capa, o consumidor deve definir qual é sua prioridade. O silicone absorve mais o impacto numa queda, e evita mais rachamentos. Já as capas de acrílico, de material mais rígido, tendem a proteger mais contra arranhões. Algumas capas têm os dois materiais — geralmente o acrílico pelo lado de fora.

Evite bolsas e bolsos

Muitos dos danos à tela ocorrem quando o smartphone está nas bolsas ou nos bolsos de seus donos. Nesses momentos, chaves, canetas, lixas, agulhas e outros objetos podem riscar a tela. No bolso, uma pressão constante por muito tempo, na hora em que a pessoa está sentada, pode levar a uma tela trincada ou quebrada.

Não use aparelho em movimento
Muitas quedas acontecem quando as pessoas usam o aparelho em movimento, seja na hora de telefonar ou de mandar uma mensagem. Sempre que possível, o melhor é evitar usar o telefone enquanto está andando ou distraído com outra atividade.