Comportamento

Entenda como relações astrológicas influenciam fatos mundiais

Conflitos, mortes, epidemias e rupturas representam a fase de transição para o planeta, cujo auge ocorre em 2014; Saiba colaborar para aliviar essa tensão no mundo

Márcia Luz (marcia.luz@redebahia.com.br)
- Atualizada em
Você tem a impressão e o sentimento de que, de um tempo para cá, a vida está estranha? Sente uma energia diferente no mundo? Doenças, conflitos, mortes, grandes transformações mundiais, perdas... Mudanças radicais também estão no plano particular, de cada pessoa e família: limitações financeiras, rompimentos, separações, enfim, dificuldades. Pois é, o universo passa por uma fase de transição, que começou entre 2011 e 2012 e segue até 2015.  2014 é o auge dessa realidade! No céu, existe uma configuração delicada entre planetas, que acaba "influenciando" os acontecimentos aqui embaixo, mas os resultados também são provocados e intensificados pela ação de cada ser humano, por suas escolhas e suas crenças.  Para entender melhor o que acontece no atual cenário mundial, o iBahia conversou com astrólogas, que estão debruçadas sobre essas questões. Além de explicar o momento astrológico e o movimento dos planetas nos signos, elas trazem dicas que podem ser colocadas em prática desde já por nós, em colaboração com a transformação do universo.  A boa notícia é: a partir de setembro, tudo pode fluir de maneira mais tranquila e leve. Um alívio!
Netuno em Peixes

Epidemias como ebola,  conflitos entre nações, mortes e disputas de poder... Tudo isso está relacionado à combinação de vários aspectos entre os planetas no céu, no momento. O planeta Netuno, que entrou no seu próprio signo Peixes, iniciou um ciclo que acontece a cada 164 anos. Esta relação começou em fevereiro de 2012 e fica até 2026. A conexão está ligada a tudo o que envolve o coletivo em fatos  e acontecimentos transformadores e de preparação para o que pode vir de melhor, pois o planeta também simboliza a busca do divino. 
Netuno é também o planeta que desperta compaixão, aceitação e amor incondicional, então, em situações como acidentes, guerra, epidemias, ele gera o cuidado coletivo e humanitário, regendo trabalhos como o dos Médicos sem Fronteiras, Cruz Vermelha e de pessoas que se voluntariam para ajudar vitimas de catástrofes. A astróloga Gicele Alakija explica que por mais estranho que o termo pareça, o que está acontecendo no cenário mundial é uma espécie de “purificação da humanidade”, provocada por mudanças muito drásticas que revelam ao ser humano que diante de tais acontecimentos “todos são iguais”.  

Conflitos a exemplo do que ocorre na Faixa de Gaza alertam: "Todos são iguais"
Infelizmente, essa lição do universo tem acontecido através de fatos tristes, mortes e acidentes -  muitos ligados às máquinas, a exemplo, das recentes tragédias envolvendo aviões.

Urano em Áries

Tudo isso traduz outras características deste tempo em que vivemos: a rapidez e a velocidade, o "querer tudo para ontem". Tais questões estão ligados à presença do planeta Urano no signo de Áries - uma combinação de dois elementos que trazem  imediatismo, intolerância e o chamado pavio curto. Urano nos obriga a lidar com o imprevisível, o inusitado, o inesperado!
  
Plutão em capricórnio
No céu, Urano está brigando com o planeta Plutão, que está no momento no signo de Capricórnio, configurando uma outra realidade: a mudança do velho para o novo, causando uma disputa grande entre o que precisa acabar e o que precisa nascer. 
Essa “briga” vai ser forte até 2015. Isso ajuda a explicar, por exemplo, no plano macro,  enfrentamentos como os que acontecem na Faixa de Gaza, as disputas entre nações e dificuldades de acordos, assim como estruturas defeituosas que desmoronam, como o viaduto que desabou em Belo Horizonte, durante a Copa do Mundo, além de desabamentos de prédios e explosões.

Estruturas defeituosas desmoronam para dar lugar ao novo
Também no âmbito pessoal há muitos desdobramentos, como separações e fins de relacionamentos que pareciam sólidos, amizades desfeitas, perdas de emprego. Essas mudanças, como enfatiza a astróloga Alakija, muitas vezes, não têm motivos lógicos e aparentes, mas revelam a necessidade de uma profunda revisão de velhas estruturas. 
“Tudo o que não é bem feito ou fechou um ciclo, cai para dar lugar ao novo”, explica.  Como Urano também representa o campo político,  as transformações atingem este segmento. 
Saturno em Escorpião
Por outro lado, existe a ação de Saturno, conhecido como o Senhor do Tempo e do Karma. Ele é o disciplinador, rígido e é uma energia que exige dos seres humanos mais responsabilidade. Este planeta impõe à humanidade os limites e a noção de realidade. Até 2015, Saturno estará no signo de Escorpião, em um ciclo que ocorre a cada 28 a 30 anos, em média.  O último ciclo, por exemplo, aconteceu na época das Diretas Já, um dos momentos mais importantes para a história política recente do Brasil.  

Saturno exige do ser humano disciplina e responsabilidade
Escorpião, por sua vez, é o signo que simboliza a de perda (inclusive perda coletiva), crise, desapego, dinheiro, questões sexuais e morte (mas aqui vista como uma ponte para o renascimento – ou seja, algo precisa morrer para dar lugar ao novo).  Esta combinação de Saturno com Escorpião propõe à humanidade uma nova relação com a morte, uma revisão profunda de tudo o que precisamos nos desapegar profundamente, para melhor reestruturação. Nos diz também que não podemos e nem devemos querer controlar ou interferir no curso natural das coisas, pois tudo tem seu tempo de nascer, crescer e morrer. Parece  que 2014 é ponto alto da combinação de todos esses planetas; temos visto muitas mortes em guerras, por doenças, acidentes e também de personalidades. 
Júpiter em Leão
O momento é delicado, mas, a partir deste mês de agosto, um novo aspecto surge no céu. Urano, representando o social, o progresso, a originalidade, a surpresa, estará em aspecto fluente com Júpiter, que rege as leias, a justiça, a expressão de comunicação, expansão e fé, a relação com países estrangeiros, diferentes culturas. Durante aproximadamente um ano podemos esperar que melhorem as relações no mundo, intermediações de religiosos e políticos nas questões internacionais e revisões de leis.  

Desde o dia 16 de julho, Júpiter entrou no signo de Leão, o que favorece o diálogo e o acordo, mas há se ter cautela, pois Leão é individualista e, sabendo disso, cada um precisa estar atento ao se movimentar no mundo para evitar choques. O cuidado com o Urano é estar sempre atento, pois ele traz o imprevisto (sobretudo estando Áries) e ações não pensadas.  Com Urano atuando, é importante ter o plano B e até o C para evitar surpresas, o que não é de todo ruim, pois o intuito deste planeta é tirar a humanidade da "mesmice" e abrir-se à perspectiva do novo. Isso pode acontecer através da dor, mas também da arte. Aliás, as artes e tudo o que envolve a criação, podem ser muito beneficiados com o aspecto fluente entre Júpiter e Urano no céu. 
Morte de Eduardo Campos: o imprevisto
O triste fato da morte do candidato à presidência Eduardo Campos e sua equipe, esta semana, é um exemplo do imprevisto. O acidente envolveu uma aeronave, velocidade e abre, com certeza, uma nova configuração para o cenário político e para as eleições deste ano.  São todas características que remetem à ação dos aspectos planetários já referidos, ao mesmo tempo em que assistimos uma nação inteira consternada e vivendo, independente de ideologias partidárias,  o sentimento de compaixão, que une eleitores, simpatizantes, amigos próximos, políticos e familiares no lamento dessa perda de maneira tão drástica. 

Acidente de Eduardo Campos é o inesperado, provocado por Netuno; e a perda recente de muitas personalidades representa uma proposta de ensinar o ser humano a lidar diferente com a morte


Volta ao sagrado interior
Sheila Oliveira, que exerce a astrologia búdica e atua junto à Holambras, um espaço em Salvador que reúne profissionais ligados às terapias holísticas, chama a atenção para algo muito importante: os planetas têm muito poder, mas são energias que agem para o bem. Todas as situações desastrosas vividas pela humanidade são resultantes da ação e do pensamento do ser humano. Por essa razão, a astrologia búdica trabalha para retomar o sagrado no homem, ou seja, fazer o resgate da alma e de forças interiores, que podem barrar sentimentos e influências negativas. 
“A energia do planeta vai agir de acordo com o que você sente e com o seu comportamento. As tragédias são provenientes do desequilíbrio do ser humano. Saturno, o planeta disciplinador e da responsabilidade, quer arrumar tudo e Júpiter traz os bons sentimentos , mas eles não estão conseguindo isso, porque as pessoas estão desacreditadas no ser humano e são individualistas. É isso que gera o cenário de disputas. As pessoas culpam o externo, mas as transformações vem de dentro de cada um”, ressalta a astróloga, estudiosa e adepta dos ensinamentos do mestre e guia espiritual Saint Germain.   
A astróloga afirma: estamos em uma Nova Era, que convida todos os seres a voltar-se para dentro. A curar-se de tudo aquilo que nos torna dependentes de alguma forma. “A astrologia traz uma bagagem enorme para nosso autoconhecimento, e é isso que importa. É a questão "conhece a ti mesmo"...mas por que? Para que possamos nos perceber e compreender o sentido da vida, o propósito de alma. Com isso, você se cura e cura todo o resto. O externo é reflexo do interno. Não são as aflições da vida que nos prejudicam, são as nossas aflições,conduta e atitudes que prejudicam a vida. Melhore por dentro que tudo melhora por fora”. 

Na prática, o que podemos fazer para colaborar com o momento astrológico? 
Para ajudar nesta fase de transição e arrumação, precisamos definir ações e adotar atitudes, que podem nos ajudar a construir a nossa felicidade, dia após dia. Veja algumas dicas  da consultora em astrologia Crysthina Campos, também ligada à  Holambras:
1. Finanças – Faça planilhas e liste seus gastos e seus recebimentos. Corte o que for possível e tente seguir a equação de não gastar mais do que ganha. Pesquise e estude sobre educação financeira;
2. Amor -  É preciso se livrar da dependência de relações que não trazem alegria, da chamada intoxicação afetiva, e para isso é preciso trabalhar o emocional e as carências, assumir e focar naquilo que você realmente deseja; 
3. Casa – Cuide da sua casa, ela é um lugar sagrado. Mantenha sempre limpa e organizada. Use aromatizantes para atrair bons fluidos. Deixe a luz natural iluminar seus espaços e só tenha lá o que , de fato, usa. Energia parada deixa a casa triste.  Desapegue de tudo o que não serve mais ou que não tenha mais significado em sua atual fase; 
4. Respiração – O ato de respirar corretamente garante maior consciência do corpo, dos seus movimentos e limites.  A respiração é o sentir, é o que dá ritmo à vida. As atividades físicas (Pilates, Tai Chi Chuan, Yoga e Dança) ajudam a trabalhar este quesito; 
5. Viva cada momento – Se vai a um show acompanhe o que o está sendo apresentado no palco e se preocupe menos em registrar tudo com seu smartphone para postar nas redes sociais. O mesmo vale para o encontro com os amigos. Olhe eles nos olhos, escute o que dizem, interaja com eles e esqueça um pouco da foto no facebook, por exemplo. 
6. Mantenha-se consciente – Não embriague seus sentidos, não beba até perder a percepção das coisas;
7. Seja grato -  À vida e a tudo o que ela oferece!