Empregos

O que fazer quando seu trabalho dos sonhos é um fracasso?

Problema acontece quando, após ter conquistado o trabalho dos sonhos, o profissional percebe, com o passar dos dias, que este trabalho não é tão legal

Redação Catho

Durante a sua jornada profissional, você percebe uma função, uma empresa ou uma área de negócios que faz os teus olhos brilharem, o teu coração palpitar e a tua mente explodir de pensamentos positivos sobre como seu futuro pode ser fantástico se você atuar neste “trabalho dos sonhos”.

Talvez você tenha tomado conhecimento sobre este trabalho dos sonhos por um artigo que leu em uma revista, por um post em um blog de carreira, em uma conversa informal com um colega de trabalho ou, até mesmo, enquanto contava piadas com amigos em um bar.

Se apaixonar pelo trabalho dos sonhos é mais comum do que possa imaginar e isto pode ser explicado pelos altos índices de insatisfação registrados nos ambientes de trabalho. Como os profissionais estão incomodados com suas atividades atuais, buscam externamente, sem perceber, uma solução para este problema.

O problema acontece quando, após ter conquistado o trabalho dos sonhos, o profissional percebe, com o passar dos dias, que este trabalho não é tão legal assim e que as suas expectativas estão muito longe de ser atendidas. Esta decepção é um ótimo lembrete para que você não deposite a sua felicidade em um novo emprego ou uma proposta de trabalho.

Portanto, ao invés de continuar chateado com a situação de que este novo trabalho não é tão bacana como imaginava, foque em como você pode direcionar a sua energia para encontrar formas de ter prazer em suas atividades atuais. Por exemplo, se sua função é mais isolada que imaginava, busque oportunidades para interagir com as pessoas durante os intervalos do dia ou, até mesmo, após o expediente durante um happy hour.

Foto: Reprodução

Nestas situações, o mais adequado é buscar oportunidades de executar as atividades que te trazem felicidade. Você pode ter mais alegria através de um programa de voluntariado dentro ou fora da empresa, em um projeto profissional paralelo ou na sua rotina pessoal. Só tome cuidado com o caminho mais fácil (demissão), pois ele pode trazer impactos muito negativos em seu currículo e afetar o futuro da sua carreira para sempre.

Lembre-se que em qualquer trabalho, até mesmo naquele mais adequado ao seu perfil e que te preenche completamente, você terá de executar algumas atividades não tão prazerosas ou que exijam maior gasto de energia. Isto é normal! Você encontrará o trabalho dos sonhos quando entender que sua felicidade profissional depende muito mais de você e das suas ações do que qualquer outra coisa.

Sobre o autor
Allan Lopes é  Coaching Sistêmico, membro da Internacional Coach Federation, Master Practitioner em PNL e especialista em gestão de performance e em processos de mentoring e coaching aplicados ao ambiente corporativo. Sócio da Soar Desenvolvimento Humano e responsável pela área de Consultoria em Recursos Humanos.