Economia

Receita Federal já recebeu 3,8 milhões de declarações de IR 2019

Estimativa é que 30,5 milhões de contribuintes prestem contas ao Leão até o fim do prazo, em 30 de abril.

Agência O Globo

Desde que começou a receber as declarações de Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) de 2019, no dia 7 de março, a Receita Federal registrou o recebimento de 3.818.017 formulários até as 17h desta segunda-feira, dia 18. A estimativa é que 30,5 milhões de contribuintes prestem contas ao Leão até o fim do prazo, em 30 de abril.

Para preencher o formulário, é preciso baixar o programa no site da Receita Federal. Todas as informações sobre a declaração de ajuste anual estão disponíveis no link.

Quem precisa declarar

São obrigados a prestar contas ao Leão os contribuintes que receberam, no ano passado, rendimentos tributáveis cuja soma foi superior a R$ 28.559,70.

Aqueles que receberam rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma foi superior a R$ 40 mil, também deverão apresentar a declação de ajuste anual, assim como as pessoas que, em qualquer mês do ano passado, tiveram ganho de capital na alienação de bens ou direitos sujeito à incidência do imposto, ou fez operações em Bolsas de Valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas.

A declaração também é obrigatória para os que, em 31 de dezembro do ano passado, tinham a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil.

A Receita Federal também recebe a declaração de quem optou pela isenção do IR sobre o ganho de capital resultante da venda de imóvel residencial, cujo valor foi usado para a compra de outro bemresidencial no Brasil, num intervalo de 180 dias, contados da assinatura do contrato.

Ainda tem que declarar o cidadão que passou a residir no Brasil em qualquer mês e nessa condição encontrava-se em 31 de dezembro.

No caso da atividade rural, o acerto de contas deve ser feito por quem obteve receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50 ou por quem queira compensar, no ano-calendário de 2018 ou posteriores, prejuízos de anos-calendários anteriores ou do próprio ano-calendário de 2018.

Quem não precisa declarar

Ficam dispensados de serem informados os saldos em contas correntes abaixo de R$ 140, e os bens móveis, exceto carros, embarcações e aeronaves, com valor abaixo de R$ 5 mil.

Também não precisam ser informados os valores de ações, assim como ouro ou outro ativo financeiro, com valor abaixo de mil reais. As dívidas dos contribuintes que sejam menores do que R$ 5 mil — em 31 de dezembro de 2018 — também não precisam ser declaradas