Mulheres investidoras ganham protagonismo em meio à pandemia


Micheline Galvão, empreendedora (Foto: Flávio Carvalho)

Empreender não é uma tarefa simples, sobretudo, em tempos de instabilidade econômica trazida pela pandemia de Covid-19. No entanto, o protagonismo feminino dentro do mercado empreendedor tem avançado e, com o suporte correto, as mulheres estão encontrando novas opções para colocar suas ideias em prática, com foco em excelentes resultados.

Vinda de uma família empreendedora, formada em Administração e pós-graduada em Direito Tributário e Gestão Estratégica, Micheline Galvão resolveu empreender em meados de 2021 e abriu a Las Quecas, uma franquia especializada em panquecas gourmet, no bairro da Jatiúca, em Maceió (AL). 

“Minha família sempre teve uma veia empreendedora. Já tivemos boutique, lanchonete, academia, loja de artigos de decoração, mas, como negócio próprio, a Las Quecas é o meu primeiro empreendimento. Com o abrandamento da pandemia, enxerguei um bom momento para empreender no ramo de alimentação. As pessoas não deixam de se alimentar, porque é uma necessidade básica", conta Micheline.

"A ideia era fazer vendas no local, com o salão, e incrementar com o delivery, porque é uma área que está em plena ascensão, e eu acredito que é um caminho sem volta. Já havia essa prática de pedir alimentos em casa, mas, nos últimos tempos, os pedidos cresceram bastante, então, foi a hora de aproveitar esses dois momentos: que fosse um negócio de alimentação e que tivesse entrega na residência”, completa.

Nesse caminho do empreendedorismo, a empresária encontrou na Sicredi Expansão a ajuda que precisava para levar a ideia adiante.

“O principal diferencial que a Sicredi trouxe para mim, que me chamou a atenção, é o atendimento diferenciado. Eu saí daquele sistema de um banco, em que você é só mais um número, e passei para um atendimento personalizado, tendo um acesso direto ao meu gerente de contas", revela a empreendedora.

"Essa proximidade me fez sair de outros bancos e optar pela Sicredi. Eu já tinha aberto minha empresa e minha conta em outro banco, foi quando soube da Sicredi, achei muito interessante e fui procurar”, destaca. 

Segundo Micheline Galvão, na Sicredi as pessoas físicas ou jurídicas entram como cooperados, o que é uma vantagem competitiva porque existe a divisão de resultados. Ela ressalta, ainda, as linhas de crédito, tanto para empreendedor quanto para pessoa física, com taxas menores do que as encontradas no mercado.

 

A empreendedora faz parte de um universo de mais de 30 milhões de mulheres que estão empreendendo em todo o Brasil, segundo dados do Global Entrepreneurship Monitor. Esse total corresponde a quase metade do mercado empreendedor (48,7%), e cresceu cerca de 40% somente em 2020. A maioria delas começou pela necessidade de aumentar a renda, alcançar a independência financeira ou como uma medida de combate ao desemprego. 

Segundo relatório do Boston Consulting Group (BCG), as mulheres empreendedoras podem aumentar o Produto Mundial Bruto em torno de US$ 5 trilhões, correspondendo a duas vezes o Produto Interno Bruto do Brasil. Heloíza de Oliveira Soares, gerente da Agência da Sicredi Expansão em Salvador, destaca que empreender está diretamente ligado a investir e, nessa etapa, é essencial contar com ajuda especializada para obter sucesso.

“Na realidade, um empreendimento é a forma mais arrojada e rentável de investimento que existe e, justamente por isso, deve ser planejado. Quando trazemos o empreendedorismo para a realidade feminina, os desafios crescem", diz Heloíza.

"As dificuldades vão desde a exaustiva rotina diária (não remunerada) para que o negócio funcione até a captação de recursos com taxas maiores (34,6% a.a) que as praticadas para negócios masculinos (31,1% a.a), mesmo com os índices menores de inadimplência no mercado, de acordo com pesquisa feita pelo Sebrae, em 2019”, aponta.

Micheline Galvão abriu a Las Quecas em 2021 (Foto: Flávio Carvalho)

Heloíza Soares destaca que, na cooperativa, conhecendo bem e sendo sensíveis a essa realidade, os gerentes têm um papel muito importante de consultoria. Eles orientam desde a importância da formalização dos registros contábeis, da necessidade de olhar para a contabilidade ao final do dia com perguntas e sempre tendo em mente que o objetivo do negócio é multiplicar o investimento e não apenas pagar as contas do sócio, e ainda sobre a necessidade de provisões ou de reinvestimentos. 

“A cooperativa não tem interesse apenas em vender o produto ou serviço, mas fomentar de forma sustentável aquela empresa e, para isso, pode ser que a solução não seja um crédito, por exemplo, mas um consórcio. Temos todas as soluções disponíveis, mas é nosso papel adequá-las à capacidade e necessidade atual de cada empreendimento. A nossa lógica é: se o associado cresce, a cooperativa cresce”, define.

A gerente frisa, ainda, que a Sicredi Expansão é uma cooperativa de livre admissão e toda pessoa física ou jurídica pode se tornar um associado. “Prezamos pelo relacionamento simples e próximo. Nossos gerentes são também consultores que tratam de forma assertiva e com muita transparência as demandas dos associados, sugerindo sempre as soluções mais adequadas”, complementa.

A Sicredi Expansão atua hoje na Bahia e em Alagoas e dispõe de 14 agências com equipes especializadas para prestar o melhor atendimento ao cooperado.

Leia mais sobre Economia no iBahia.com e siga o portal no Google Notícias.