Dúvidas sobre empreendedorismo? Confira as dicas!


Ter senso de empreendedorismo é um dos itens mais importantes não só para quem deseja ser dono do seu próprio negócio, mas também para quem pensa em seguir outras carreiras.  Mas será que qualquer pessoa pode ser tornar um empreendedor de sucesso? Segundo Isabel Ribeiro, assessora da Superintendência do Sebrae Bahia, um bom empreendedor tem que ter capacidade de convencimento. Confira dicas da especialista para se tornar um bom profissional.iBahia – Como uma pessoa que não tem condições financeiras pode montar um negócio próprio?
Isabel Ribeiro – O empreendedor começa com recursos individuais (formação acadêmica, experiência, reputação, conhecimento do setor, contatos). Devido à falta de reputação, e de um histórico de resultados, os empreendedores têm grande dificuldade em atrair recursos. Alguns deles se utilizam de plano de negócios para dar legitimidade frente aos investidores, fornecedores, consumidores e aos outros envolvidos no processo, onde o discurso do empreendedor  e sua capacidade de convencimento desenvolve papel fundamental na obtenção de recursos.iBahia – Como identificar uma ideia é inovadora?
IR – A inovação pode ocorrer de duas formas: a inovação incremental e a inovação radical. A primeira acontece, quando o empreendedor proporciona melhorias constantes naquilo que já existe, no seu produto, processo ou serviço. É uma inovação incremental, pois foi realizada aos poucos, aperfeiçoando o que já existia. A inovação radical vai ocorrer quando se muda a lógica do produto ou do processo. Inovação também é mudar a forma de se realizar uma tarefa no trabalho ou identificar um novo mercado para a organização.iBahia – Existe uma área em que seja mais fácil se tornar empreendedor?
IR – Primeiro há que se identificar a vocação e identificação com o empreendimento que se quer iniciar, levando-se em conta domínios, capacidades, processos, informações e conhecimentos organizacionais, pois possibilita conceber e implementar estratégias que melhore a eficiência e a eficácia. Ou seja é mais fácil de tornar empreendedor na área de maior domínio e conhecimento que o empreendedor detêm, uma vez que nas áreas novas e desconhecidas o conhecimento e competência precisará se adquirido e desenvolvido.iBahia – Para Domenico De Masi, o ócio é um momento em que o ser humano pode trabalhar sua capacidade criativa, criando e empreendendo. A pessoa se torna um empreendedor com mais facilidade quando o negócio está ligado ao prazer?
IR – Segundo o próprio Domenico, é necessário aprender que o trabalho não é tudo na vida e que existem outros grandes valores: o estudo para produzir saber; a diversão para produzir alegria; o sexo para produzir prazer; a família para produzir solidariedade, etc.iBahia – Como um empreendedor pode ser inovador?
IR – Diferenciando-se oportuna e permanentemente, em consonância com necessidades explicitadas ou não no mercado em que atua. Ou seja, percebendo ou criando desejos ainda não vislumbrados pela clientela, e antecipando-se à concorrência.iBahia- É mais fácil uma pessoa mais jovem se tornar um empreendedor?
IR – Em países que apresentam baixo nível de distribuição de renda, o jovem é obrigado a entrar cedo no mercado de trabalho para aumentar a renda familiar. Nesses lugares, há predominância do jovem empreendedor por necessidade, em atividades de baixa produtividade. Em situações onde o emprego com carteira assinada está ascendente, o jovem, preferencialmente, opta pela condição de empregado, quando essa situação se reverte a opção a buscar a própria oportunidade. Por mais que o jovem tenha capacidade criativa e inovativa, a maturidade também é requerida para se tomar a decisão de empreender e formar a rede de relacionamentos para implementar um negócio: sócios, aportadores de recursos, fornecedores, parceiros, entre outros. Ter ideias criativas é o mesmo que ter organização e boa análise dos acontecimentos que estão ao redor do empreendedor. É estar em sintonia com o universo. Para desenvolver a criatividade um empreendedor deve procurar pensar em fazer o que ninguém fez ainda. Ouvir e conversar bastante, encontrar boas fontes de informação e conhecimento em revistas, livros, na Internet e em jornais. Pode-se despertar a criatividade a partir da análise desses conteúdos. Outra boa dica é armazenar as ideias  pensadas e não utilizadas, fazendo  um arquivo de assuntos de interesse e da a área de atuação e, sempre que puder, procurar ler esse material para despertar novas propostas.