Futebol

Cruzeiro chega à Conmebol para protestar contra expulsão de Dedé

Dirigentes da equipe mineira foram ao Paraguai para reclamar do polêmico cartão vermelho na derrota para o Boca Juniors

Redação Goal

O Cruzeiro não vai aceitar com tranquilidade a expulsão do zagueiro Dedé na derrota para o Boca Juniors na última quarta-feira (19), pela partida de ida das quartas de final da Libertadores. O defensor disputou bola pelo alto e acertou cabeçada no goleiro Esteban Andrada. Apesar do lance parecer um acidente, a arbitragem resolveu dar o cartão vermelho depois de revisão pelo VAR.

Nesta quinta, a diretoria celeste chegou à Conmebol para protestar oficialmente contra a situação. A delegação cruzeirense conta com o presidente Wagner Pires de Sá e o supervisor administrativo Benecy Queiroz.

No momento da expulsão de Dedé, o jogo estava 1 a 0 para o Boca, e o time argentino marcou mais uma vez. O defensor também precisa cumprir suspensão automática na partida de volta.

O zagueiro e o técnico Mano Menezes protestaram contra a decisão da arbitragem ainda na Bombonera. "Como eu vou ter maldade com um jogador adversário com a cabeça? Isso no existe no futebol", disse Dedé. 

(Foto: Reprodução / Instagram)

O jogo
O Cruzeiro deixou o estádio La Bombonera com uma dura derrota por 2 a 0 para o Boca Juniors, e uma missão muito complicada para o jogo de volta válido pelas quartas de final da Copa Libertadores.

Ainda que não tenha sido superior ao Boca, a expulsão de Dedé – um dos melhores em campo pelos mineiros – dificultou ainda mais a missão da equipe treinada por Mano Menezes. O zagueiro recebeu o vermelho de forma polêmica, muito contestada, por um choque não intencional com o goleiro Andrada.

Após o apito final, o meio-campista Henrique foi o jogador cruzeirense que mais falou sobre o lance, ainda que brevemente: "Foi rigoroso demais, vai olhar lá imagem... Não é assim que funcionam as coisas também", disse para o SporTV.

Outros jogadores, como o goleiro Fábio e o meia Thiago Neves, lamentaram o resultado mas já convocaram o torcedor cruzeirense para o jogo de volta, no próximo dia 4 de outubro: "Jogo difícil, já sabíamos que ia ser. Infelizmente, dois lances ali e sofremos os gols. Lances que a gente poderia neutralizar", afirmou o goleiro.

"2 a 0, a gente tem mais um jogo, 90 minutos. Da mesma forma que eles fizeram, nós podemos fazer e levar para as penalidades", disse, antes de falar sobre o lance de Dedé: "Achei que foi um choque normal, os dois visando a bola".

Substituído no segundo tempo, Thiago Neves tranquilizou a torcida e garantiu que não está lesionado: "Eu já vinha sentindo um incomodo na coxa. No segundo tempo deu uma pesadinha, mas não é nada demais, não é nada muito grave. Não saí lesionado, poderia ter continuado até o final".

"Foi um resultado ruim, mas seguimos acreditando (...) O time chegou, melhorou no segundo tempo, mas não conseguimos fazer o gol. Expulsão do Dedé prejudica porque é um jogador importante pra gente", completou.