Petlovers

Cinco dicas para deixar seu animal seguro na festa de Réveillon

Veterinário ensina como proteger os pets da agitação e dos riscos das festas

Agência O Globo
O Réveillon pode não ser tão divertido para os animais. Dos convidados aos fogos de artifício, tudo pode oferecer risco aos pets. O veterinário Gustavo Xavier alerta os donos para cuidarem de seus bichos durante as confraternizações, levando em consideração todos os cuidados especiais de que precisam:
Foto: Divulgação
— Cada animal é único e, por isso, não existem ações totalmente efetivas. No entanto, recomendamos algumas técnicas que ajudam bastante. Mas esses procedimentos só funcionam se forem aplicadas na presença dos tutores, que é como chamamos os donos de pets — alerta o especialista.
Para que a comemoração da chegada do novo ano não ofereça riscos aos animais de estimação, o veterinário pontua cinco situações de perigo e a maneira certa de evitá-las:
1. Fogos de artifício
Cães e gatos lidam de forma diferente com a situação. Enquanto os cachorros buscam esconderijo, os felinos tentam fugir. Para protegê-los do barulho dos fogos, indicamos criar um ambiente agradável e seguro, independentemente do porte do animal. Enrole-o num lençol, coloque pedacinhos de algodão nos ouvidos do bichinho e ponha música ambiente um pouco mais alta do que o normal. Gatos também podem ficar mais tranquilos com um difusor de odor felino, que pode ser encontrado em pet shop.
2. Medicamentos
A agitação dos eventos pode prejudicar os animais, mas dar a eles tranquilizantes para humanos não vai fazer o efeito desejado. Se o tutor achar que o pet precisa ser medicado, deve consultar um veterinário de confiança. E, ainda assim, mesmo após a procura por um especialista, existem pessoas que fazem uso indevido da receita e dão remédios quando acham necessário, ou pegam referências com algum amigo que tem animal, desconsiderando que cada bicho é único.
3. Ceia
Após as festas de fim de ano, as clínicas recebem mais animais com intoxicação alimentar do que com problemas causados pelos fogos. O ideal é não dar comida de humanos para os bichos, ainda que façam uma carinha capaz de convencer qualquer tutor. Como sabemos que isso é quase impossível de acontecer, é necessário apenas ficar atento a alguns alimentos específicos. Jamais dar chocolate ou frutas cítricas, e prestar atenção para que não comam caroços.
4. Presentes
Nessa época, crianças costumam ganhar brinquedos que vêm presos às caixas com arame. É importante verificar se as peças não ficaram pelo chão para que os animais não as comam, porque só podem ser removidas com endoscopia ou, em casos mais graves, com procedimentos cirúrgicos.
5. Piscina
A melhor alternativa doméstica para o calor pode ser perigosa para alguns cães que não estejam acostumados. O ideal é ter uma escada por onde o animal possa fugir para evitar afogamentos. Assim que o pet sair da água, é necessário secar o pelo com secador, e não deixar ao sol.