Salvador

Corpo de músico é retido no IML por dificuldade de identificação

Devido à demora na liberação do corpo, o velório e enterro do músico, previstos para às 15h de domingo (14), foram cancelados

Yne Manuella (yne.manuella@redebahia.com.br)
- Atualizada em

Em razão das dificuldades de identificação, ainda não há previsão para que o corpo do músico Maicon Charles Cordeiro, 26 anos, seja liberado do Instituto Médico Legal Nina Rodrigues (IML), para onde foi levado na noite de anteontem, quando foi resgatado pelos bombeiros na Praia da Paciência, no Rio Vermelho.


 Segundo a assessoria de imprensa do Departamento de Polícia Técnica (DPT), o corpo já passou por autópsia mas só será liberado após confirmar a identificação — o procedimento ainda não foi concluído devido ao estado de decomposição do corpo de Maicon. O músico estava desaparecido desde a última terça-feira, quando foi visto no Rio Vermelho, em frente ao The Dubliners Irish Pub, bar onde a banda Tsunami — da qual era baterista — fazia apresentações regularmente.



Devido à demora na liberação do corpo, o velório e enterro do músico, previstos para às 15h de domingo (14) no Cemitério Recanto da Saudade, em Candeias, Região Metropolitana de Salvador, foram cancelados. O resultado da autópsia não foi informado pelo DPT – que também não confirmou a realização de exame toxicológico.


Lidiane Cordeiro, irmã de Maicon, afirmou que a família foi informada que havia indicativos de que a morte foi provocada por afogamento. “Meu pai foi até a delegacia no sábado e a polícia acha que foi afogamento mesmo. Não tem como a gente saber se foi suicídio mas quando eu conversei com  Maicon, um dia antes de ele sumir, ele estava bem”, contou. Nenhum dos responsáveis pela investigação do caso, feita pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), foi encontrado ontem para informar o resultado do laudo do DPT.

Pescadores do Rio Vermelho avistaram o corpo de Maicon na manhã de sábado. O resgate do corpo, que estava preso sob uma pedra da praia, só pode ser iniciado às 17h, quando a maré baixou. Ao todo, 26 profissionais do Corpo de Bombeiros, da Defesa Civil de Salvador (Codesal) e do DPT participaram da operação, finalizada por volta das 19h20, quando a  pedra foi destruída, possibilitando a remoção do corpo.

A mãe de Maicon, familiares e amigos acompanharam o trabalho. Já no local, o corpo foi reconhecido por familiares e amigos como sendo de  Maicon por causa das tatuagens. Próximo, foram achados documentos e cartões de crédito em nome do músico. Amigos contaram à família que o jovem estava no Pub quando, por volta das 21h, desceu para a praia com um colega e um mixer – aparelho utilizado para discotecagem. O mixer foi encontrado na praia no dia seguinte.

Correio24horas