Se essa rua fosse minha

O Porto da Barra que você não conhece

Conheça os novos espaços no cantinho que todo mundo adora

Ive Deonísio e Luriana Moares (falecomseessarua@gmail.com)
- Atualizada em

Porto da Barra, esse lugar da cidade que todo mundo tem uma historinha boa para contar. Começou com Thomé de Souza, que desembarcou no Porto em 1549 para fundar a primeira capital do Brasil e chegou até o editor do caderno de viagens do The Guardian, que apontou o Porto como umas das praias mais belas do mundo.

E por falar em Thomé de Souza, no canto direito da praia fica o Marco do Descobrimento, um monumento com duas partes, uma estrutura vertical de pedra portuguesa com o símbolo da Coroa e a Cruz de Jesus, e um painel de azulejos portugueses.

São dois monumentos que compõe o Marco do Descobrimento
Ele retrata a chegada de Thomé em Salvador, em 29 de março de 1549. É um lugar especial pra gente porque tem vista privilegiada para o nosso portinho natural, um banho de mar que mais parece banho de piscina, o mesmo que Seu Thomé encontrou aqui quando chegou.
A lindeza da praia e a delícia do banho de mar com certeza você já conhece, e é por isso que o nosso rolê da vez não vai ser pela praia. Porque a gente gosta mesmo é de descobrir os lugares e figuras da cidade.
Um programa imperdível é a dupla de museus nos fortes que marcam o início e o fim da praia: Forte São Diogo e Santa Maria. A entrada, R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia), dá acesso aos dois locais. No Forte São Diogo, fica o Espaço Carybé de Artes, um museu novo e totalmente interativo que mostra obras e histórias do nosso artista baiano-argentino.
O Forte Santa Maria é a casa do Espaço Pierre Verger da Fotografia Baiana, que homenageia Pierre Verger, é claro, e outros fotógrafos baianos. Também tem um ambiente interativo e com vista linda para essa praia que a gente baba. Nas quartas, as visitas são gratuitas. Quem acha um porre ir para museu porque fica parado vendo quadro, pode achar esses bem interessantes.
O mesmo ingresso vale para os espaços Carybé de Artes e Espaço Pierre Verger da Fotografia Baiana
Tão clássico como os fortes é Rui, figura que vive nas ruas do Porto há anos. Entre um bico e outro, sempre na paz, o Rasta, como é conhecido, descansa no banco da pracinha da rua de trás da praia. E, apesar da vida difícil de situação de rua, não nega um sorriso pra ninguém. Que as boas vibes continuem com ele!
Rui é uma figura conhecia pelos frequentadores do Porto da Barra
Se você curte explorar a cidade como a gente, vai amar conhecer a Villa Gavazza, uma comunidade que é resquício de quilombo. Com entrada pela Rua Marquês de Caravelas ou pelo Morro do Gavazza, é um lugar cheio de curvas estreitas, onde todo mundo se conhece, as portas estão sempre destrancadas e muita gente se dispõe a ajudar. Vimos casinhas fofas, ouvimos histórias de mulheres que beiram os 100 anos. Muita gente lá pensa como Bebeto do Quiabo, um morador que nasceu e disse que vai morrer no Gavazza. Não saio daqui por dinheiro nenhum, conheço todo mundo, moro perto da praia, vou me mudar pra quê?”. Tá certíssimo.
A Vila Gavazza é uma comunidade cheia de curvas e vielas que abriga moradores centenários
O Teatro da Barra foi mais uma descoberta nossa na região. Ele é pequenininho (cabem 70 pessoas), mas bem confortável. Também fica na Marquês de Caravelas e exibe clássicos do cinema, na Sessão Nostalgia. É um ilustre desconhecido até pelos moradores da região. Uma pena. Ou a gente passa a frequentar e cuidar dos nossos espaços culturais ou eles vão ser cada vez mais raros.
Pequeno Teatro é desconhecido até por moradores da região
Se a fome bater, temos opções para todos os gostos. A primeira é a batata rosti deliciosa do Restaurante Tudo Azul. Além da comida gostosa, o restaurante é quase integrante da paisagem natural do Porto da Barra.  Os garçons conhecem todos os frequentadores e figuras da região, os preços não são exorbitantes e ainda tem vista para o mar, pode colocar na lista. 

Batata rosti do restaurante Tudo Azul
Agora, se só sobrou um troco para o lanche, pode ir no Point Pink do Hot Dog que não tem erro. O rango é massa, tem o diferencial do molho à bolonhesa e se o povo tiver animado na rua, elas ainda colocam funk no carrinho para  todo mundo rebolar a bunda de barriga cheia.  Marcia e Jéssica, as donas do carrinho, são resenha pura!
O cachorro-quente custa R$ 2 e com mais R$1 o cliente leva um suco
Curtiram o lado mais desconhecido do Porto? Se tiver mais dica, escreve pra gente! E não esquece de conferir outros roteiros legais aqui e no nosso instagram @seessarua_fosseminha.

Serviço:
Espaço Carybé de Artes
Endereço: Rua do Forte de São Diogo, s/n - Porto da Barra
Horário: de quarta a segunda, das 11h às 19h – fechado às terças
Telefone:  (71) 3264-7262
Valor: R$20 (inteira) e R$10 (meia) – o ingresso vale para o Espaço Pierre Verger de Fotografia

Espaço Pierre Verger da Fotografia Baiana
Endereço: Avenida Sete de Setembro s/n - Porto da Barra
Horário: de quarta a segunda, das 11h às 19h – fechado às terças
Telefone:  (71) 3267-3307
Valor : R$20 (inteira) e R$10 (meia) – o ingresso vale para o Espaço Carybé de Artes

Teatro da Barra
Endereço: R. Marquês de Caravelas, 50 - Barra
Telefone: (71) 3264-4163

Restaurante Tudo Azul
Endereço:  - Avenida Sete de Setembro, 3701
Horário:  todos os dias, das 10h às 22h
Telefone: (71) 3264-6346
Batata Rosti: entre RS35 e R$40 (depende do sabor)

Point Pink do Hot Dog
Endereço: Rua da Praia, esquina da Associação Atlética, um pouco mais à frente do Forte Santa Maria
Cachorro-quente R$ 2 / cachorro-quente + suco R$3


*O projeto "Se Essa Rua Fosse Minha" visita diversos bairros soteropolitanos, carinhosamente chamados de ruas, numa das muitas licenças poéticas que você vai encontrar nos textos. Ali, as publicitárias Luri Moraes e Ive Deonísio se encantam com as pessoas, conversam animadamente com os moradores e se deixam levar por esse mar de amor que emana das ruas de Salvador. Mais histórias e fotos em @seessarua_fosseminha