Economia

Confiança do empresariado baiano reage e alcança maior nível em oito meses, indica balanço da SEI

O Indicador de Confiança do Empresariado Baiano (ICEB), índice que avalia as expectativas do setor produtivo do estado, voltou a crescer no mês de abril após oito meses. Segundo cálculo da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), o índice registrou -67 pontos. Com o resultado, o indicador foi maior do que o observado no mês anterior (-164 pontos) e no mesmo mês do ano passado (-275 pontos). Trata-se do maior patamar desde agosto de 2021, (-41 pontos). Numa escala de -1.000 a 1.000 pontos, o resultado representou um aumento de 97 pontos em relação ao de março, interrompendo o percurso com duas quedas mensais consecutivas no nível de confiança. A alta é suficiente para suplantar os recuos nos dois meses anteriores. Já em relação ao registrado em 2021, a pontuação indica alta de 208 pontos. Por outro […]

Redação iBahia
25/05/2022 às 20h21

2 min de leitura
Foto: Reprodução

O Indicador de Confiança do Empresariado Baiano (ICEB), índice que avalia as expectativas do setor produtivo do estado, voltou a crescer no mês de abril após oito meses. Segundo cálculo da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), o índice registrou -67 pontos.

Com o resultado, o indicador foi maior do que o observado no mês anterior (-164 pontos) e no mesmo mês do ano passado (-275 pontos). Trata-se do maior patamar desde agosto de 2021, (-41 pontos).

Numa escala de -1.000 a 1.000 pontos, o resultado representou um aumento de 97 pontos em relação ao de março, interrompendo o percurso com duas quedas mensais consecutivas no nível de confiança. A alta é suficiente para suplantar os recuos nos dois meses anteriores. Já em relação ao registrado em 2021, a pontuação indica alta de 208 pontos.

Por outro lado, o indicador abaixo de zero ainda significa a permanência do pessimismo no meio empresarial baiano pela 26ª vez consecutiva. Segundo o balanço, a confiança do empresariado local permaneceu, assim, na zona de Pessimismo Moderado pela 12ª vez seguida.

Além disso, a alta do nível de confiança de março a abril não aconteceu de forma generalizada. A atividade industrial, no comparativo com o mesmo mês do ano de 2021 e com o mesmo indicador geral teve retração.

Do conjunto avaliado pelo balanço, os itens juros, crédito e situação financeira apresentaram os indicadores de confiança em pior situação no mês. Em contrapartida, as variáveis PIB nacional, emprego e vendas foram aquelas com as melhores expectativas do empresariado baiano.

Leia mais sobre Bahia em iBahia.com e siga o Portal no Google Notícias.