Homem é morto e outro baleado em Lauro de Freitas


Um homem foi morto a tiros e outro foi baleado em via pública em Ipitanga, no município de Lauro de Freitas, Região Metropolitana de Salvador (RMS). De acordo com a Central de Polícia, o crime aconteceu por volta das 1h05 na rua Vereador Valdenir de Bastos, neste sábado (28).

Segundo a 23ª Delegacia Territorial (DT/Lauro de Freitas), que investiga o caso, Lindomar Saraiva Lima, mais conhecido na região como ‘Mazinho’, foi atingido por diversos disparos de arma de fogo. A vítima, de 22 anos, não resistiu aos ferimentos e morreu no local do crime.

Já Marcos Vinicius Riccio Maia, de 29 anos, foi baleado quatro vezes no pé esquerdo, no pescoço e no braço. A vítima foi socorrida para o Hospital Geral do Estado (HGE), onde permanece internada no centro cirúrgico da unidade.

Ainda de acordo com um agente da 23ª DT, o autor do crime ainda não foi identificado pela polícia, que investiga se Lindomar e Marcos Vinicius teriam envolvimento com o tráfico de drogas da região.

O corpo de Lindomar foi encaminhado para o Departamento de Polícia Técnica (DPT), onde deve passar por uma perícia antes de ser liberado para a família.

Outros crimes
Outro homem de 26 anos foi morto a tiros na madrugada deste sábdo (28) no bairro de Fazenda Grande do Retiro. Renato Francisco Ribeiro da Silva foi alvejado em diversas partes do corpo por volta das 3h, na avenida Melo Moraes Filho.

Ele não resistiu aos ferimentos e morreu em via pública. O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga o homicídio, mas até o momento nem o autor, nem a motivação do crime foram identificadas pela polícia.

Ainda conforme a Central de Polícia, na noite desta sexta-feira (27), Cristian Bruno Lima da Cunha, de 29 anos, também foi assassinado em via pública. O crime aconteceu na Travessa Augusta, localizada no bairro de São Caetano, por volta das 23h30.

Christian foi vítima de disparos de arma de fogo, e morreu no local do crime. As circunstâncias e autoria do crime ainda não foram esclarecidas pelo DHPP, que investiga o caso.