Homem que agrediu filhas em praia é ouvido pela polícia e alega arrependimento: ‘Momento de fraqueza’


Foto: Reprodução

O homem que viralizou após ser filmado agredindo as filhas na praia de Itapuã, em Salvador, foi ouvido pela polícia nesta terça-feira (3), na cidade de Feira de Santana, a cerca de 100 km da capital, onde a família mora. No depoimento, ele disse que está arrependido das agressões.

O dia exato em que a situação aconteceu não foi divulgado, mas as imagens ganharam mais repercussão nesta terça, depois que a cantora carioca Ludmilla compartilhou as imagens no Twitter. No vídeo, ele bate nas duas meninas com uma sandália e chega a arremessar uma das crianças no chão.

O homem foi identificado como Ângelo Mirada. Após ser ouvido pela polícia nesta terça-feira, ele foi liberado e falou com a imprensa na porta da delegacia. Em entrevista gravada pela TV Subaé, que é afiliada da TV Bahia em Feira, ele pediu perdão.

“Eu quero só pedir perdão a todos, porque foi um momento de fraqueza e acabei corrigindo as minhas filhas de forma errada. Eu cuido das minhas filhas desde quando elas nasceram”, disse.

De acordo com a delegada Danielle Mattias, que investiga o caso, as crianças serão ouvidas pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social de Feira de Santana porque a Polícia Civil do município não faz esse tipo de atendimento. Além disso, medidas protetivas serão solicitadas.

“Ele já esta respondendo pelo inquérito policial, vai ser solicitada a medida protetiva para as vítimas e tudo isso será comunicado à Justiça”, afirmou.

A delegada informou ainda que a mãe das meninas foi localizada e também prestou depoimento à polícia. No entanto, o teor das declarações da mulher, que é separada do pai das crianças, não foi detalhado.

Caso

Informações iniciais dão conta de que as agressões teriam acontecido depois que as meninas se perderam na praia. A situação foi filmada por um banhista que testemunhou a ação. Após ter acesso ao vídeo, Ludmilla cobrou resposta da Justiça.

“Não existe contexto que justifique essa violência. O que mais me deixa indignada é que ninguém fez nada. Bora fazer alguma coisa @MPdaBahia”, escreveu ela, se referindo ao Ministério Público da Bahia.

Após a repercussão, Ângelo chegou a gravar um vídeo que também circulou nas redes sociais e tentou se justificar, mas tem sido criticado nas redes sociais. “Eu errei? Errei! Eu passei do limite? Passei! Mas eu não matei minhas filhas, não […] Minha vida é baseada toda nas minhas filhas […] Eu sou um pai, não sou um monstro, não!”, disse.

Leia mais sobre Bahia no iBahia.com e siga o portal no Google Notícias.