Bienal do Livro Bahia debate antagonismo político na Arena Jovem


Foto: Reprodução /Redes sociais

Está confirmado: a Bienal do Livro Bahia volta a acontecer em 2022, depois de um hiato de nove anos, e será de 10 a 15 de novembro, no Centro de Convenções Salvador. Além dos 200 expositores e dos lançamentos de livros em seus respectivos estandes, a programação da Bienal, pensada para toda a família, contará com três espaços: o Café Literário, a Arena Jovem e o Espaço Infantil.

A programação da Arena Jovem, cuja curadoria está a cargo do jornalista Schneider Carpeggiani, terá a participação de personalidades midiáticas que estão presentes no cotidiano dos jovens e os estimulam a serem cada vez mais protagonistas da transformação social.

Uma das mesas já confirmadas para o espaço trará Francisco Bosco, ensaísta e apresentador do Programa Papo de Segunda, no Canal GNT, e Manoel Soares, jornalista baiano e também apresentador da TV Globo.

Intitulada “Políticas, tretas e diálogos possíveis no Brasil de hoje”, a mesa debaterá as possíveis maneiras de como lidar com o momento político atual, especialmente no contexto brasileiro, em que todos querem falar, mas ninguém quer parar para escutar o outro. Com esse mote, a conversa terá mediação de Edma de Góis, que é jornalista, doutora em Literatura pela Universidade de Brasília (UnB) e pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Estudo de Linguagens da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), já tendo sido assessora de imprensa da campanha pelo Projeto de Lei da Ficha Limpa (Lei 135/2010). É uma das organizadoras de “A literatura na berlinda: ensaios para uma crítica contemporânea” (Edufba, 2021).

Conheça mais sobre os palestrantes

Francisco Bosco, além de ensaísta e apresentador, é doutor em teoria da literatura pela UFRJ, autor de “O diálogo possível: por uma reconstrução do debate público brasileiro” e “A vítima tem sempre razão? Lutas identitárias e o novo espaço público brasileiro”, entre outros. Foi colunista da revista Cult e do jornal O Globo, dirigiu a rádio Batuta, do Instituto Moreira Salles, e foi presidente da Fundação Nacional de Artes (FUNARTE).

Manoel Soares, além de jornalista e apresentador, é escritor, palestrante e educador mediático. Nascido no bairro da Boca do Rio, em Salvador (Bahia), atua há mais de 25 anos nas áreas de processos comunicacionais e gestão social. Tem trabalhos jornalísticos premiados e é Conselheiro Nacional da Central Única das Favelas – CUFA.

Leia mais sobre Bienal do Livro Bahia no iBahia.com e siga o portal no Google Notícias.