Recife

Caso Miguel: Sari Corte-Real é condenada a oito anos e meio por abandono de incapaz

Sentença foi divulgada pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) na noite desta terça-feira (31), quase dois anos após a morte do menino

Redação iBahia
01/06/2022 às 10h56

2 min de leitura
Foto: Reprodução / Redes Sociais

Sari Corte-Real foi condenada a oito anos e seis meses de prisão por abandono de incapaz que resultou na morte de Miguel Otávio de Santana, de cino anos. A criança caiu de um prédio de luxo em Recife, em 2 de junho de 2020.

A sentença foi divulgada pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) na noite desta terça-feira (31), quase dois anos após a morte do menino.

Miguel era filho de Mirtes Santana, empregada doméstica que trabalhava na casa de Sari. Ele estava sob os cuidados da então da então primeira-dama de Tamandaré, cidade a cerca de 100km de Recife, enquanto Mirtes passeava com a cadela dos patrões.

Na decisão proferida pelo juiz José Renato Bizerra, titular da 1ª Vara dos Crimes contra a Criança e o Adolescente da Capital, é determinado que Sari inice o cumprimento da pena em regime fechado. Ela, no entanto, tem o direito de recorrer em liberdade.

Relembre o caso

Foto: Reprodução / Fantástico / TV Globo

Miguel morreu no dia 2 de junho de 2020, após cair do 9º andar de um prédio do Condomínio Píer Maurício de Nassau, no bairro de São José, no Centro de Recife.

A perícia identificou, na época, que Miguel saiu da casa dos patrões da mãe e apertou diversos botões do elevador. A criança caiu do hall de serviços, na casa de máquinas, na parte da condensadora do ar-condicionado. Ele subiu no para-peito que dá acesso às maquinas, escalando uma altura de 1,2 metro.