Brasil

Com águas verdes e exuberantes, Maceió fica a 1h de avião de SSA

Capital do estado de Alagoas é destino ideal para curtir num fim de semana

Redação iBahia
15/05/2016 às 16h09

4 min de leitura

Na Praia do Gunga, a maré se encontra com a Lagoa do Roteiro (fotos: divulgação)

Recomendar que você fique rodeado de um mar paradisíaco por apenas dois dias pode parecer covardia. Mas, se for o único tempo livre que tiver na agenda, é um passeio que vale muito a pena e pode lhe custar cerca de R$ 200 (mais o transporte). Com piscinas naturais formadas por imensas barreiras de corais, Maceió impressiona pelos 40 quilômetros de orla urbana com águas cristalinas, além dos coqueirais. As praias mais conhecidas são Pajuçara, Ponta Verde e Jatiúca. A melhor pedida é se instalar em pousadas, hotéis ou albergues em alguma dessas praias (veja ao lado). Elas ficam uma do lado da outra e dá até para percorrê-las de bike em 30 minutinhos. Sugiro no final de tarde. Há três estações de aluguel de bicicletas (a partir de R$ 15 por hora), abertos das 7h às 22h.

Pela cidade
Já que você terá que correr contra o tempo, aproveite a cidade logo no primeiro dia. Por mais clichê que seja, não dá para ir à capital alagoana sem pegar uma jangada até as piscinas de Pajuçara. O passeio custa, em média, R$ 25 por pessoa e é preciso combinar o preço com algum jangadeiro local. O barco atravessa dois quilômetros e chega nas piscinas naturais – que ficam literalmente no meio do mar – em dez minutos. Antes de ir, cheque a tábua de marés. É que quando está baixa dá para ver os peixinhos coloridos. O aluguel do snorkel custa R$ 10. Se você estiver com o bolso apertado, a dica é levar seus próprios comes e bebes – na orla tem vários mercados das grandes bandeiras. Se quiser comodidade, bares flutuantes servem petiscos e bebidas de R$ 5 a R$ 30. Para quem curte esportes aquáticos, Ponta Verde é parada obrigatória. Lá, profissionais dão aulas de Stand Up Paddle (SUP) e caiaque (R$ 30, a hora). Já windsurfe custa R$ 60 a hora.

Tradicional passeio de jangada às piscinas naturais de Pajuçara é imperdível

Nas duas vezes que fui para Maceió, preferi curtir as belezas naturais durante o dia. À noite, só saí para comer. Perto das principais praias e no bairro de Stella Maris existem muitos bares. O Lampião, em Jatiúca, é ótima opção para voltar craque no forró. Também é o ritmo nordestino que anima a Maikai Choparia, no mesmo bairro, que tem ainda axé, pagode e samba. Em Ponta Verde, barracas de praia têm  DJs e bandas. As mais badaladas são Lopana e Kanoa.

Dá para alugar um snorkel e ver peixinhos  (João Schwartz/Divulgação)

Sua escolha
Para o segundo dia, você pode optar entre dois passeios: Praia do Gunga ou Maragogi. A primeira fica no litoral sul – a 40 quilômetros do centro de Maceió. A segunda está no litoral norte, a 130 quilômetros da capital. No Gunga, o destaque vai para as piscinas naturais e para o encontro do mar com a Lagoa do Roteiro, no Rio São Miguel, que proporcionam cenários incríveis. A lagoa possui águas mornas no raso e geladas no fundo. É uma delícia! Para chegar, é preciso seguir pela AL-101 até Barra de São Miguel. Na Praia do Niquim, você pega uma escuna até o Gunga. Ônibus passam pelas praias de Ponta Verde e Pajuçara e levam até São Miguel. A viagem dura cerca de duas horas. O passeio de buggy até as falésias custa R$ 40 por pessoa (aceita cartão!) e é incrível.

O Camarão Sertão Vira Mar do Divina Gula leva creme de queijo coalho (Nide Lins/Divulgação)

Já de Maceió para Maragogi são cerca de 2 horas e 30 minutos. Na falta de tempo, não deixe de conhecer as piscinas naturais Galés em dias de maré baixa. A seis quilômetros da costa, são repletas de peixes coloridos. O passeio de catamarã, incluindo mergulho e fotos embaixo da água, custa R$ 145 por pessoa.

Correio24horas