Brasil

Ataque no Museu do Louvre fecha principais museus de Paris

Após o ataque de um militar na entrada do Museu do Louvre, o governo reforça policiamento. A suspeita é de um ataque terrorista

Redação Correio 24h
- Atualizada em

Nesta manhã de sexta-feira (3), no Carrousel do Louvre, centro comercial ao lado do Museu do Louvre, um militar disparou contra um suspeito que tentava entrada na galeria com duas malas. O homem estava armado e agrediu o soldado, que logo em seguida disparou cinco vezes, atingindo as pernas do agressor. O Museu do Louvre foi rapidamente esvaziado. 

As informações não foram confirmadas, mas a suspeita é de que tenha sido um ataque terrorista. Segundo o chefe de polícia de Paris, Michel Cadot, o homem teria feito ameaças aos militares e gritado "Allah Akbar", de acordo com informações divulgadaas no Le Parisien. Em árabe, as palavras significam "Deus é grande". 

"Estamos lidando com um ataque de um indivíduo que era claramente agressivo e representava uma ameaça direta, e cujos comentários nos levam a pensar que ele gostaria de ter realizado um ataque terrorista", disse Michel Cardot. 

O caso foi confirmado pelo Ministério do Interior Francês, que disse ter sido um "grave incidente de segurança pública". Após o ataque, a galeria - um dos maiores museus do mundo, onde se encontra a obra Mona Lisa, de Leonardo Da Vinci - foi esvaziada e um perímetro de segurança foi estabelecido, isolando as áreas próximas.

O suspeito ficou gravemente ferido. O Museu D'Orsay e a estação Palais Royal Musée du Louvre, da Linha 1, também foram fechadas por medida de segurança.