Brasil

Doações para Brumadinho não são mais necessárias, dizem Bombeiros

Em entrevista ao Uol, o porta-voz do órgão agradeceu a solidariedade e alertou para possibilidades de golpes

Redação iBahia com agências

A Polícia Militar de Minas informou que as doações arrecadadas para os atingidos pelo rompimento da barragem de rejeitos da mineradora Vale, em Brumadinho, região metropolitana de Minas Gerais, são suficientes e não é mais necessário o envio de donativos. Se for necessário, a campanha será retomada. Até o momento, 60 corpos foram encontrados, 192 pessoas foram resgatadas e 292 estão desaparecidas.

Em entrevista ao UOl, o porta-voz do Corpo de Bombeiros, o tenente Pedro Aihara agradeceu a solidariedade da população, mas pontuou que as doações não são mais necessárias.

"Graças a Deus a gente pode contar com a boa vontade da população brasileira", afirmou em entrevista coletiva. "Mas como a gente trabalha com um número grande de mortos e não desabrigados, os donativos não são necessários", explicou.


Aihara pontuou ainda que há uma possibilidade de golpe e as pessoas precisam ficar alertas para a possibilidade de golpes. . "Infelizmente, muita gente se aproveita da boa fé de outras para aplicar golpes como estelionato", disse. "Pelo governo estadual de Minas Gerais, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil e todos os órgãos oficias envolvidos na tragédia, não está sendo solicitado nenhum tipo de doação, nem donativos, nem dinheiro", afirmou.

De acordo com a apuração da UOl, a polícia civil instaurou um inquérito para analisar possíveis casos de estelionato relacionados aos anúncios de doações para Brumadinho.

O major da polícia militar de Minas Gerais, Flávio Santiago, explicou que o serviço de inteligência da corporação já identificou ações criminosas que, por meio de sites não oficiais, pedem doações para uma conta bancária.

Ele reforçou ainda que a Defesa Civil não precisa de nenhuma doação no momento e que, caso isto seja necessário, deve ser feito de forma oficial nos sites do órgão.