Brasil

Modelo que morreu na passarela do SPFW tinha problema no coração

O laudo ainda descarta a presença de droga e álcool no organismo do rapaz

Agência O Globo

O Laudo necroscópico sobre a morte do modelo Tales Cotta, 25 anos, enquanto desfilava na São Paulo Fashion Week, revela que ele tinha uma doença no coração não diagnosticada que provocou um edema pulmonar agudo. O documento foi obtido come exclusividade pelo site G1. Segundo o portal, o laudo ainda descarta a presença de droga e álcool no organismo do rapaz.


Cotta morreu no dia 27 de abril. Ele atravessava a passarela quando desmaiou, diante de outros modelos e o público que acompanhava o desfile. O laudo, ainda segundo o G1, será levado para o 91º Distrito Policial (DP) para ser anexado ao inquérito que investiga a morte.

Segundo cópia do exame feito pelo Instituto Médico Legal (IML) da Polícia Técnico-Científica, também obtida pelo site, Tales tinha uma cardiopatia que talvez nem o próprio modelo soubesse que possuía. “Descartada a hipótese de intoxicação exógena aguda (vide resultado do exame toxicológico acima) e que a causa da morte não pode ser estabelecida, esta, provavelmente ocorreu devido a um edema agudo pulmonar secundário a uma cardiopatia prévia não diagnosticada”, informa trecho do laudo.