Brasil

Dilma terá salário, segurança e transporte durante afastamento

Renan Calheiros leu, após proclamar o resultado da votação, o texto da notificação que será enviada para Dilma

Redação iBahia
12/05/2016 às 10h41

2 min de leitura
Mesmo afastada, por até 180 dias do mandado de presidente da república, a presidente Dilma Rousseff continuará recebendo salário de R$ 27.841,2, fazendo uso residência oficial (Palácio do Alvorada), assistência de saúde e transporte, como avião e carro oficial. A informação foi divulgada pelo  presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), depois que proclamou a decisão da Casa.

Foto: Evaristo Sá/AFP

Calheiros leu o texto da notificação que será enviada para Dilma. No texto, ele cita as prerrogativas, que mantém os benefícios da presidente. Ela também terá acesso à segurança pessoal e a equipe pessoal. “Ficando vossa excelência suspensa das funções de presidente da república, até a conclusão do julgamento no Senado ou até a decorrência do prazo fixado de 180 dias, mantendo durante este período as prerrogativas do cargo, relativas ao uso da residência oficial, segurança pessoal, assistência saúde, transporte aéreo e terrestre, remuneração e equipe à serviço do gabinete pessoal”, leu o presidente do Senado.

Correio24horas

Dilma recebeu 55 votos pela retirada temporária dela, 22 contra. Não houve nenhuma abstenção. Renan informou também que que a presidente será notificada ainda na manhã de hoje da decisão do Senado. Caberá ao primeiro-secretário da Casa, senador Vicentinho Alves (PR-TO), fazer essa notificação pessoalmente. Ao final do processo, Dilma será afastada definitivamente do cargo se houver pelo menos 54 votos para condená-la.