Empregada confessa ter matado e enterrado patroa desaparecida


O corpo de uma aposentada de São Paulo, que estava desaparecida há dois meses, foi encontrado dentro da própria casa onde ela morava em Itanhaém, no litoral do estado.A empregada doméstica de Terezinha Barbosa confessou ter envolvimento com a morte da patroa, além de ter enterrado o corpo dela na residência. A aposentada tinha sido vista pela última vez no começo de agosto.
A polícia acredita que o crime foi premeditado pela funcionária. A única filha de Terezinha, que mora na capital paulista e ia visitar a casa da mãe esporadicamente, registrou um boletim de ocorrência após não conseguir falar com a mãe por um mês.

Ela disse que não encontrou o carro da mãe no local, assim como dois cartões de crédito e os dois cachorros da aposentada.

Após ser detida, a doméstica confessou que roubou os cartões e R$ 5 mil da conta da aposentada. O corpo de Terezinha foi localizado em um dos quartos da residência.

“Ela estava embaixo da terra, em uma profundidade de aproximadamente 1,5 metro”, disse o delegado Douglas Borguez, em entrevista ao G1 Santos. “Ela pode ter sido envenenada. O autor teve o cuidado de colocar o cal e de cimentar. Foi uma atitude premeditada”, opinou.

A causa da morte da aposentada ainda não foi determinada, e só deve ser esclarecida após o resultado de um laudo. A Polícia Civil paulista ainda acredita que outras pessoas participaram da morte de Terezinha.

“Trabalhamos com a hipótese de homicídio ou latrocínio”, garantiu Borguez, que atua na Delegacia de Investigações Gerais (DIG). A empregada doméstica foi liberada, e deve responder inicialmente pelo crime de ocultação de cadáver.   Matéria Original Correio 24h: Empregada confessa ter matado e enterrado patroa, desaparecida há dois meses