Meio Ambiente

Empresa brasileira de telefonia integra pela primeira vez lista das empresas mais sustentáveis do mundo; veja qual

Foram analisadas mais de sete mil empresas e apenas 22 brasileiras foram selecionadas.

Especial Publicitário
16/06/2022 às 8h00

2 min de leitura

A TIM Brasil integra, pela primeira vez, o Sustainability Yearbook 2022 – anuário elaborado pela S&P Global, agência de rating e consultoria responsável pelo Dow Jones Sustainability Index (DJSI). O documento aponta as empresas líderes em sustentabilidade e é considerado referência para investidores no cenário empresarial. Para fazer parte do anuário, a organização deve estar entre as 15% melhores de seu setor no mundo. Foram analisadas mais de sete mil empresas e apenas 22 brasileiras foram selecionadas.

“Nos últimos meses, confirmamos nossa participação nos mais importantes índices e anuários de sustentabilidade e diversidade do mercado mundial. Isso só confirma o compromisso da TIM com a agenda ESG, que não é algo novo para nós. A atuação da empresa com foco nas melhores práticas ambientais, sociais e de governança é uma realidade de mais de uma década e seguirá pautando a nossa gestão”, destacou Mario Girasole, vice-presidente de Assuntos Regulatórios e Institucionais da TIM.

Foto: Divulgação / TIM

A TIM integra ainda o Índice de Sustentabilidade Empresarial – onde atua há 14 anos, sendo a operadora por mais anos seguidos na lista. Já as iniciativas da companhia focadas na diversidade e inclusão foram reconhecidas pelo Gender Equality Index da Bloomberg – a TIM é uma das 13 companhias brasileiras inseridas na carteira que avalia a igualdade de gênero no local de trabalho e nas comunidades.

Os reconhecimentos só foram possíveis graças ao envolvimento de toda a companhia em iniciativas focadas na agenda ESG. São destaques as metas de uso de fontes renováveis de energia, ecoeficiência, descarte de resíduos sólidos e redução de emissões de GEE; o programa de estágio inclusivo; a presença de ao menos 30% de mulheres no Conselho de Administração e nos cargos de liderança da empresa;e a conquista de certificações como o Selo Pró-Ética e a ISO 37001, de combate ao suborno.

Leia mais sobre Brasil no iBahia.com e siga o portal no Google Notícias