Viúva de Campos diz viver "pesadelo": "Não estava no script"


A mulher de Eduardo Campos, Renata, tentou manter a serenidade e firmeza diante da trágica notícia da morte do marido diante dos cinco filhos e de dezenas de familiares que foram visitá-la na casa da família, em Recife.

Segundo a Folha, pessoas que estiveram com Renata afirmam que ela se manteve calma, embora seja possível vê-la com traços de choro no rosto. “Não estava no script”, dizia Renata a quem a abraçava dando os pêsames.

“Ela estava firme recebendo as pessoas. Estava serena. Cumprimentei ela e pronto. Não adianta dizer muita coisa”, afirmou o advogado Luiz Carlos Cordeiro, 70 anos, vizinho dos campos. Já uma amiga ouvida pelo G1 afirmou que Renata disse viver “um pesadelo”.

Renata e Eduardo Campos (Foto: Reprodução)

Renata costumava acompanhar o marido durante as viagens, mas não embarcou do Rio para Santos com ele nesta quarta, embora inicialmente a notícia de que ela estava com Campos tenha sido divulgada. Ela foi ao Recife com o filho Miguel, de seis meses, e o sobrinho Rodrigo Molina, ajudante que também costumava viajar com Campos.

Campos e Renata eram vizinhos quando criança e começaram a namorar quando ela tinha apenas 13 anos e ela 15. Eles estavam juntos, ao todo, há mais de 30 anos e tiveram cinco filhos juntos – o mais novo, Miguel, nasceu em janeiro.

No início da noite, a ministra do TCU Ana Arraes, mãe de Campos, chegou à casa. Ela não falou com a imprensa. Ana estava em Brasília quando recebeu a notícia da morte do filho. O único familiar a falar com jornalistas foi Antônio Campos, único irmão de Eduardo. “Perdi um irmão muito amado, um grande amigo. Falei com ele às 6h59. Ele estava feliz com a participação positiva no ‘Jornal Nacional’. Eduardo morreu no mesmo dia que meu avô (o ex-governador Miguel Arraes), há nove anos. Mas morreu lutando por seus ideais, pelo que ele acreditava”, afirmou.

Matéria Original: Correio 24h
Viúva de Campos diz viver “pesadelo”: “Não estava no script”