‘Aos 50, Quem Me Aguenta?’ é um stand-up comedy sobre a vida da mulher com meia-idade


Seja como ‘Aparecida’, a mãe zelosa da novela juvenil “Malhação Conectados” (2011) ou como a mãe do campeão mundial de boxe Acelino “Popó” Freitas, na série “Irmãos Freitas” (2019), a atriz Edvana Carvalho está sempre parindo personagens mulheres aguerridas, conscientes, provocativas, e, como pode ser visto em diversos dos seus trabalhos, também cheias de humor e identidade. No espetáculo solo “Aos 50, Quem Me Aguenta?”,  a artista nos apresenta um painel dessas muitas facetas femininas tecidas entre a vida, a tela e os palcos.

Nessa incursão cênica pelos dilemas e descobertas da mulher a partir dos 50 anos de idade, a atriz desbrava diversas experiências, abordando relacionamentos amorosos, sexo, reflexões sobre a maturidade, as transformações do corpo, racismo, entre outros assuntos autobiográficos e inspirados em fatos reais. Sem pudores nem papas na língua, a artista revela uma série de situações vividas com frustrações sexuais, o medo da velhice, as limitações físicas, os contrastes de visões de mundo nos relacionamentos, filhos, discriminação e, especialmente, a jornada da mulher negra nesse percurso.  

Inspirado no formato de conferências “Ted Talks” – porém, com uma performance muito característica do stand-up comedy – o espetáculo solo não é apenas um diálogo com o público feminino, mas também um papo reto com o público hetero masculino, que cumpre um papel de educação sexual para homens. Ao projetar suas próprias emoções e anseios, Edvana Carvalho compõe uma radiografia de muitas mulheres nesse estágio da maturidade. Com poesia e humor, a artista solta o verbo e entra num campo íntimo que desconcerta, faz refletir e provoca gargalhadas.

A direção de Marcelo Praddo é muito sútil, soa muito espontânea. Entre os muitos trânsitos de cena e nuances de interpretação da atriz, vai construindo um trabalho calcado na interação direta com o público. A atuação tem uma dosagem entre humor e reflexão muito boa. Um tempo e um ritmo que contemplam tanto a comédia quanto o drama. Fugindo do trivial, o enredo  sai ainda da zona de conforto para um discurso que denuncia o racismo, a discriminação, o machismo e o sexismo, sem vaselina. E convoca as mulheres à liberdade, à união e ao empoderamento. “O que existe é a responsabilidade de como orquestro a minha vida e as minhas escolhas”, decreta a personagem.

Espetáculo solo “Aos 50 – Quem me Aguenta?”

  • Dias: 9, 16, 23 e 30 de julho (aos sábados)
  • Local: Teatro Molière – Aliança Francesa Salvador
  • End.: Av. Sete de Setembro, 401, Barra – Salvador/BA
  • Horário: 19h
  • Ingressos: R$ 60,00 (inteira) / R$ 30,00 (meia entrada)
  • Venda de ingressos exclusivamente pelo WhatsApp: (71) 99921-2368

Quer saber mais?! Confira na agenda ‘De Resenha’ no nosso instagram!

Leia mais sobre De Resenha no ibahia.com e siga o portal no Google Notícias

Veja também: