Ópraí Wanda Chase

Bloco afro Ilê Aiyê realiza shows no Festival Village Borrego, na França

Confira também: o Balé Teatro Castro Alves celebra os 80 de Gilberto Gil e diretora e coreógrafa Duda Maia traz para Feira de Santana o espetáculo 'Histórias de Amor para Crianças'

Wanda Chase
23/06/2022 às 10h30

4 min de leitura
Foto: André Frutuôso/Odú Comunicação

O bloco afro Ilê Aiyê está em viagem para Paris, onde orienta workshop e fará dois shows na programação do Festival Village Borrego. O evento tem a proposta de ser uma grande festa popular para desenvolvimento sustentável, que reúne e incentiva todos os anos as trocas comerciais e associativas entre a Europa e América do Sul em um ambiente artístico.

A atual Deusa Ébano, Gleicy Ellen, acompanha a Band’Aiyê nas apresentações e, inclusive, o bloco irá desfilar num grande carnaval promovido pelo eventos nas ruas da cidade luz. Não é a primeira vez que a banda se apresenta na metrópole. 

Foto: Maurício Serra

BTCA e os 80 anos de Gil

O Balé Teatro Castro Alves está a todo vapor nos ensaios do espetáculo “Viramundo”, em homenagem aos 80 anos do cantor e compositor Gilberto Gil, que estreia no dia 01 de julho, na sala principal do TCA. O título é o nome de uma das canções do artista. A direção do espetáculo é da coreógrafa e diretora de Teatro Duda Maia, que está em Salvador desde o dia 02 de maio numa rotina intensa de ensaios com a companhia, que para esse trabalho reúne 25 dançarinos e 23 músicos da Orquestra Afrosinfônica.

Com trilha sonora original da orquestra, sob a batuta do maestro Ubiratan Marques, a montagem revisita diversas fases da vida e carreira de Gil. A ideia partiu da atual diretora artística do BTCA, a dançarina e atriz Ana Paula Bouzas.

Bouzas lembra na sua infância adorava dançar ouvindo as músicas de Gilberto Gil. Conta ainda que o artista era a pessoa que mais a sensibilizava. Quanto mais ouvia, maior era o encanto. Um dia, já à frente do Balé fo TCA, resolveu homenageá-lo. Para isso, convidou o maestro Ubiratan Marques,  responsável por mais de vinte trilhas sonoras para o cinema e para o teatro. Inclusive, já trabalhou com o diretor Zé Celso Martinez. O espetáculo traz no concerto uma música inédita, “João Bonito – Lacrimal”, composição do maestro, em parceria com Russo Passapusso (Banda Baiana System) que fala de uma personagem sertaneja que marcou a vida do artista.

O maestro e seu parceiro musical caíram em campo para levantar a história de Gil. Foram em busca de amigos do músico, como Capinan, Dori Caymmi, Tom Zé, entre outros… que tiveram o prazer de confirmar a generosidade e a genialidade do homenageado. O momento mais importante foi quando Gil convidou os dois para irem em sua casa. Abrindo o coração, contou fatos inéditos a respeito surgimento da Tropicália.

“Gil tem uma memória privilegiada, lembra dos vizinhos, do dono da Fármacia, da mulher que vendia frutas, do nome de um homem que via acendendo um candeeiro, da infância bem vivida, de amigos, tudo com riqueza de detalhes. A generosidade do nosso griô, o carinho pelas pessoas, tudo isso vai ser contado no palco pelo Balé Teatro Castro Alves e pela Orquestra Afrosinfônica. É uma homenagem que vai ficar na história”.

Foto: Divulgação

Histórias de Amor para Crianças

E a diretora e coreógrafa Duda Maia que, como expliquei acima, conduz o desafio de montar um espetáculo em homenagem aos 80 anos de Gil,  também traz à Feira de Santana um dos seus seus espetáculos, o musical “Vamos Comprar Um Poeta” – vencedor do Prêmio APCA de Melhor Espetáculo Infantojuvenil.

A peça fará duas únicas apresentações, no sábado, às 16h, e no domingo, às 10h, no Centro Cultural SESC Feira de Santana. A sessão de sábado, com tradução em Libras, será gratuita para pessoas com deficiência e acompahante. A montagem conclui uma trilogia intitulada Três HIstórias de Amor para Crianças.

Leia mais sobre Ópraí Wanda Chase no ibahia.com e siga o portal no Google Notícias