Pop Bahia destaca 5 lançamentos baianos que merecem espaço na sua playlist


Quem curte ouvir sons novos e atualizar as playlists pessoais vai adorar a coluna desta semana. Aqui eu vou trazer algumas dicas de lançamentos que rolaram nos últimos meses e que merecem um espaço na sua playlist. Tem música para relaxar, para pensar e, claro, para dançar. Se liga na seleção que eu preparei:

  • Xênia França

Renascer é o novo single de Xênia França. A faixa autoral antecipa o lançamento do aguardado segundo álbum da cantora, intitulado Em Nome da Estrela. O single já está disponível em todas as plataformas de streaming e conta com a parceria de Pipo Pegoraro e Lourenço Rebetez na produção. Xênia propõe se mostrar ainda mais compositora e em busca da sua própria linguagem.

O que se percebe no single é uma forte conexão com a religiosidade afro-brasileira e uma busca por autoconhecimento. O diferencial do trabalho é a harpa de Jennifer Campbell, que aparece logo na introdução da canção, e se mistura aos beats eletrônicos, aos sintetizadores de Felipe Ribeiro e à percussão de Ricardo Braga, o que cria uma textura sonora bastante peculiar e envolvente. Fica a curiosidade de ouvir o álbum completo, previsto para o início de junho.

  • Vitrolab

Antes conhecida como Vitrola Baiana, a banda Vitrolab atua na cena de Salvador há 8 anos. Durante a pandemia, o duo formado irmão Guga e Marcelo Barbosa passou a investigar as possibilidades sonoras de softwares de computador e sintetizadores analógicos. O resultado foi o álbum Mais Humano, disponível em todas as plataformas desde o final de março. O trabalho traz uma fusão de ritmos afro-baianos, como pagode e ijexá, e latinos, como ragga e dancehall.

O trabalho coloca a banda como uma das representantes da nova música pop baiana. A forma com que os ritmos aparecem, mesmo sem a presença dos instrumentos de percussão, é um dos principais elementos que caracterizam a sonoridade do álbum, que tem forte apelo imagético e uma estética pop eletrônica. As letras exploram as contradições da viva cotidiana de Salvador e da Bahia e trazem críticas sociais, mas também uma mensagem de esperança e luz.

  • Ana Paula Albuquerque

Quem também se destacou em maio foi a cantora Ana Paula Albuquerque. Ela disponibilizou em todas as plataformas de streaming no início do mês uma versão remix de Sinais com produção de Luisão Pereira. A canção, gravada originalmente pela artista no seu segundo álbum Omaremim, traz uma letra que reflete – de forma poética – as oportunidades e os acontecimentos inesperados com os quais nos deparamos durante a vida.

O remix produzido por Luisão leva a música para outros caminhos, ao explorar uma percussão de samba-reggae. A proposta de arranjo de cobertura, em cima do que já havia da versão original, realçou a característica contemplativa da música. O lançamento do single veio acompanhado de um videoclipe dirigido por Gil Alves, que dialoga com a proposta contemplativa e transporta para as imagens a poética dos versos. O clipe traz a própria cantora como protagonista e foi filmado em Salvador, principalmente no bairro do Comércio.

  • Rei Lacoste

Rei Lacoste é um artista de múltiplas linguagens: beatmaker, rapper, compositor, designer, produtor musical e audiovisual. Na última quinta (12), ele disponibilizou em todas as plataformas de streaming uma mixtape chamada Festas Clandestinas. O trabalho traz nove faixas que passeiam pelo trap, afrobeat, indie, entre outros gêneros; e conta com as participações de Giovani Cidreira, Tangolo Mangos, Dunna, Fiteck, M.M, Vicente e a poeta Clarice Lyra.

As músicas foram todas desenvolvidas durante a pandemia e propõe uma reflexão íntima e expressa a realidade cotidiana e periférica do artista baiano, que nasceu e cresceu no bairro da Boca do Rio, em Salvador. Amor, política e o “espírito hedonista brasileiro” são algumas das questões abordadas no trabalho. Rei Lacoste assina a direção musical da mixtape, assim como a produção junto à  Zepeto (Bagum) e Bruno Fechine (Tangolo Mangos).

  • Tiago Simas

Falar de amor no pagotrap foi o mote de Tiago Simas no clipe Não Quero Ninguém, faixa que aposta em um clima festivo, alegre e dançante, que foi traduzido para o videoclipe. A faixa está disponível em todas as plataformas desde o final de abril e aposta em uma história de amor cotidiana que gere identificação no público, por ser uma situação comum nos relacionamentos.

A música faz parte do projeto “Sintonia”, que reúne 7 faixas autorais de Simas no estilo pagotrap que trazem letras que falam sobre amor e relacionamento a partir de experiências pessoais e relatos amorosos de amigos do artista. Se a ideia é meter dança, esta é uma faixa merece um espaço na sua playlist!

Leia mais sobre Pop Bahia no ibahia.com e siga o portal no Google Notícias

Veja também: