Comércio estima crescimento de 20% nas vendas para o Dia dos Namorados 


Foto: Reprodução

Em mais uma data comemorativa de junho, o Dia dos Namorados também promete aquecer a economia de Salvador e Região Metropolitana da capital baiana. Após dois anos com restrições por conta da pandemia, o momento é de esperança para comerciantes. A Câmara de Dirigentes Lojistas de Salvador (CDL), estima um crescimento de 20% nas vendas por conta da data. 

Segundo o presidente da CDL de Salvador, Alberto Nunes, esse aumento se dá por conta do apelo da data e diminuição dos riscos provocados pela pandemia.

“Hoje o consumidor se sente mais à vontade para ir aos shoppings, centros comerciais e lojas de rua, por conta dessa segurança sanitária. É fundamental, neste momento de retomada, que os lojistas apresentem boas ofertas com descontos atraentes para os clientes”, destaca.

O Dia dos Namorados é considerado um dos períodos mais importantes para o varejo. Em 2022, os setores mais procurados devem ser vestuários, calçados, chocolates, acessórios, eletrônicos em geral, flores, perfumaria e cosméticos. Ainda segundo a CDL Salvador,  o tíquete médio do investimento dos clientes será de R$160. 

Expectativa x Frustração 

Essa expectativa é também a de Rebeca Angelini, dona de uma loja de roupas no Shopping da Gente, em Salvador. A empreendedora conta que começou como sacoleira, logo depois passou a vender os produtos online até conseguir uma loja física. Com a chegada do Dia dos Namorados, segundo ela, as vendas tiveram um aumento de 90%. 

“Ótimas expectativas! 90%. Percebi grande procura em relação aos últimos dois anos”, celebra. 

Por conta da alta demanda, Rebeca aumentou a quantidade de mercadoria e contratou uma pessoa. Antes, era apenas ela no comando de todas as funções da loja.  

Sobre o que as pessoas mais têm procurado para a data, ela revela que roupas e lingeries lideram o investimento. Para atrair ainda mais clientes, a dona da “Angel Mix” incluiu especialmente para o Dia dos Namorados a venda de sex shop. 

Rebeca afirma que o período é sempre bem-vindo e traz um impacto positivo para o caixa e também para a visibilidade. 

“As datas comemorativas sempre trazem um impacto positivo para a gente. Aumentando bastante a visibilidade do negócio, atrai clientes e aumenta as vendas”, reflete.

No entanto, micro empreendedores, em especial quem trabalha com insumos de alimentos, estão sofrendo com a alta da inflação. É o que conta Natalia Hegouet, sócia fundadora da “Oxe, Como é Doce”.

“Nossa expectativa para o dia dos namorados não está muito alta. Infelizmente, estamos vivendo um período em que a inflação está muito elevada e trabalhamos com insumos que, a cada dia que passa, o valor cresce. Prezamos muito pela qualidade do nosso produto e não conseguimos manter um preço baixo para eles.”, desabafa.

Ela descreve o momento como assustador, pois vê, apesar do investimento e na qualidade ofertada, reclamações por conta dos preços, que sofreram reajustes com a alta dos alimentos. Por conta disso, nos últimos dois anos as vendas chegaram a diminuir. 

“Isso é assustador, afinal, temos escutado que nossos produtos estão caros e eu entendo que o custo é alto, mas caro na minha percepção é algo que não vale a pena ser pago, e quando escutamos que um produto que fizemos com tanto cuidado, carinho e insumos de alta qualidade não vale a pena ser pago é bem triste. Creio que de 2 anos pra cá as vendas não aumentaram e sim diminuíram, por mais que estivéssemos no pico da pandemia a inflação não estava tão alta quanto está agora, ou seja, nossos produtos não tinham o reajuste que possuem agora”, explica a chefe. 

Diante do cenário desanimador, a “Oxe, Como é Doce” investiu em produtos diferentes neste Dia dos Namorados. 

“O que eu mais vejo as pessoas procurando no momento são lembrancinhas, produtos mais baratos para não passar em branco ou para compor o presente. Esse ano resolvemos fazer algo diferente para tentar chamar a atenção dos nossos clientes, fizemos um kit de fondue onde o casal recebe tudo pronto, só esquentar e aproveitar um jantar romântico com mozão”, conta. 

Apesar disso, o alívio vem por saber que o período não costuma ter um impacto tão grande na receita final. 

“O dia dos namorados não possui um impacto tão relevante para a nossa receita quanto outras datas (Páscoa, Natal, Dia das Mães), não é um período super parado, mas também não se sobressai tanto”, finaliza. 

*Sob supervisão do repórter Lucas Salles.

Leia mais sobre o Dia dos Namorados no iBahia.com e siga o portal no Google Notícias.

Veja também: