Educação

Bahia terá Educação Profissional com intermediação tecnológica

Proposta foi debatida durante reunião entre o secretário da Educação, Walter Pinheiro, e o presidente da Fieb, Ricardo Alban

Redação iBahia
04/07/2016 às 14h46

3 min de leitura
Está sendo idealizado pela Secretaria da Educação do Estado da Bahia, em parceria com a Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Fieb), um projeto de Educação Profissional com Intermediação Tecnológica. A proposta foi debatida, nesta segunda-feira (13), durante reunião entre o secretário da Educação, Walter Pinheiro, e o presidente da Fieb, Ricardo Alban.
 
Segundo Pinheiro, o projeto terá um modelo híbrido com ensino presencial e Educação à Distância (EAD). “A ideia é ofertar cursos com intenso uso de tecnologias educacionais inovadoras, usando simuladores, games e kits cibercientíficos, numa modelagem que seja estimulante para os alunos”, destacou.
 
Ainda de acordo com o secretário, a parte da modalidade EAD contará com a intermediação de grandes especialistas, a partir do uso do ambiente virtual de aula. O projeto também contará com a parte de atualização de professores em Educação Profissional. “Esta reunião que tivemos foi um desdobramento de um primeiro encontro que fizemos logo após a nossa posse, com a participação do governador Rui Costa”, disse.

Inicialmente, o projeto será implantado em escala piloto, em três escolas de Educação Profissional e de Educação Integral, para em uma segunda fase ser expandido para outras unidades da rede estadual de ensino.
 
Outro projeto debatido na reunião, ocorrida na Fieb, foi o de Incentivo à Concessão de Estágio e Primeira Experiência Profissional (Primeiro Estágio – Primeiro Emprego) a estudantes egressos da rede estadual de Educação Profissional e a jovens e adolescentes qualificados por programas executados pelo Estado da Bahia. A ação faz parte do programa Educar para Transformar, que visa à formação de uma rede de parcerias para a melhoria da educação pública.

Segundo o presidente da Fieb, Ricardo Alban, serão utilizados todos os recursos disponíveis para incentivar a inclusão destes jovens no mundo do trabalho. “Vamos fazer um trabalho junto aos associados, por meio do Sindicato das Indústrias e com o Instituto Euvaldo Lodi (IEL), para que possamos estimular o primeiro emprego de uma forma profissional e com resultado. Esse jovem deve estar qualificado para ser reconhecido pelo trabalho que vai realizar”, afirmou.

O encontro contou, também, com a participação do secretário do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte, Álvaro Gomes.  *Conteúdo de responsabilidade do parceiro